0 comentários

Crítica de álbum – Supermodel (Foster The People, 2014)

by on março 16, 2014
 

Compartilhe!Share on Facebook1Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Foster The People é uma banda de indie rock americana conhecida por sua canção hit “Pumped Up Kicks” em 2011. Eles são um trio formado por Mark Foster nos teclados, guitarras e vocais; Mark Pontius na bateria; e Cubbie Fink no baixo e vocal de apoio. Os caras tiveram um ótimo álbum de estreia em 2011, o já saudoso “Torches”, mas será que a banda ainda segura a tocha, trocadilho infame intencional, de seu álbum inicial?

No geral “Supermodel” é um álbum de pop eufórico, ainda utilizando um bocado o sintetizador , guitarras distorcidas e melodias sutis. Contudo, há exceções. “Pseudologia Fantastica” aborda em sua letra um veterano de guerra voltando para sua família e “A Begginer´s Guide To Destroying The Moon”, título foda por sinal, dá umas pinceladas no lado sombrio do capitalismo. Entretanto, essas duas não mudam bem o ritmo das batidas, ironicamente elas são bem animadas. Apenas as músicas “Fire Escape” e Goat in Trees” escapam dessa fórmula, a primeiro sendo um bom resultado dessa experimentação da banda, a segunda citada nem tanto.

“Supermodel” é uma olhada interessante no amadurecimento da banda. Eles estão diferentes, apesar dos elementos eletrônicos ainda existirem são numa presença bem menor e a banda foca mais em guitarras e percussão, tocados com esmero pelos integrantes de Foster The People. Até uma guitarra acústica entra na brincadeira na lamuriosa “Fire Escape”. E temos uma influência africana na música de abertura, “Are You What You Want to Be?”, que pode causar uma estranheza inicial, mas costuma agradar a maioria depois que a música engata.

A melodia “Best Friend” é uma das melhores composições, com uma pegada disco que mostra que o grupo não se limita mais de onde tirar inspiração. Pode anotar que essa música em especial vai movimentar bem as pistas.

É um álbum para escutar nas baladas, na “night”, uma ou outra composição são músicas para apreciar realmente. Para festas é um bom disco, mas esses caras conseguem fazer mais do que isso, seja abordando mais estilos ou criando hits mais impactantes. De qualquer modo, vamos ver o que esse trio de Los Angeles ainda vai oferecer no futuro, pois se com pouca experiência os sujeitos já manjam, imagina com mais uns anos de estrada.

Nota: 3/5

Não esqueci do single que abriu caminho para matarmos saudade de Foster The People. Confira acima a música, que obviamente também esta no álbum Supermodel, Coming of Age. Ela gruda na cabeça e  parece uma balada dos anos 80. 

Compartilhe!Share on Facebook1Tweet about this on TwitterShare on Google+0
Seja o primeiro a comentar!
 
Deixe uma resposta »

 

Deixe uma resposta