1 comment

Crítica: The Flash – Primeiro Episódio

by on agosto 6, 2014
 

Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Os heróis da DC largaram atrás no cinema, a Warner ainda procura firmar seu universo com o Batman v Superman Dawn of Justice. Já na TV a realidade é outra. O acerto de Arrow, seriado do Arqueiro Verde, garantiu fôlego para o velocista Flash buscar seu espaço em uma novo seriado.

Criado em 1940 por Gardner Fox e Harry Lambert, Flash é o mais famoso velocista dos quadrinhos. Um acidente envolvendo um raio e produtos químicos deu ao cientista Barry Allen o poder sobre “campos de velocidade” que o permite mover-se a níveis altíssimos de velocidade.

O novo seriado do corredor escarlate, assim como Arrow, busca inspiração na obra original, mas toma diversas liberdades criativas. Com um estilo sci-fi e direcionado a um público adolescente, em certos momentos lembra bastante o finado Smallville.

O primeiro episódio segue a fórmula básica, apresentando os núcleos de personagens e a história de origem do herói. Os personagens têm seus papéis evidentemente delimitados – a família, os cientistas/tutores, os amigos e etc. A origem repete pontos comuns desse gênero, com uma forte inspiração no primeiro filme do Homem Aranha de Sam Ramini, com o herói em início de atividade e como isso influencia seu cotidiano e questões da adolescência – tendo cenas extremamente semelhantes, como o momento que descobre e testa seus poderes.

flash01

O ponto negativo é que a série se apoia em diversos clichês, como o interesse romântico não correspondido, a corporação que está por trás de tudo, o vilão da semana (lembra os fragmentos de kriptonita de Smallville?), um grande mistério a ser desvendado e etc. Resumindo, o seriado utiliza de todos esses aspectos, gerando um “mais do mesmo”, sem nenhuma novidade relevante. O roteiro também adora realizar correlações de frases feitas com as palavras rapidez e velocidade.

Já o ponto positivo ficou pela interpretação de Grant Gustin como o protagonista, que se encaixa bem ao que foi pretendido. Em compensação as demais atuações passam batidas, longe de marcarem presença. O uniforme do herói também ficou bacana, sendo algo sóbrio mas que remete ao clássico, semelhante ao que foi visto com o Arqueiro em Arrow. Os efeitos especiais e as cenas de ação ficaram condizentes com os poderes do Flash. Conseguiram passar a sensação de velocidade de modo simples, porém eficiente. Na verdade, assim como outros seriados, em momento algum ela se propõem a entregar algo mais elaborado, tendo explicações rápidas e rasteiras, que vão desde o modo que o herói ganha os seus poderes e como esses funcionam, até questões físicas envolvidas.

Flash e Arrow possuem os universos compartilhados, assim como os filmes da Marvel. Inclusive os heróis já haviam se encontrado brevemente na série do Arqueiro Verde. Entretanto se você não assiste Arrow irá estranhar essa cena porque não há nenhum tipo de explicação prévia, ficando totalmente jogado dentro da trama.

O primeiro episódio tem data de estreia marcada para 7 de outubro no The CW.

Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0
comentários
 
Deixe uma resposta »

 

Deixe uma resposta