1 comment

Crítica: Gotham – Primeiro Episódio

by on setembro 24, 2014
 

Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0

No último dia 22, estreou nos Estados Unidos a nova série de TV baseada em uma obra da DC comics, Gotham. Ambientado no universo do homem-morcego, o seriado da Fox se passa anos antes do herói assumir o manto de Batman. Apesar dessa base, não espere por um contexto super-heroico, na verdade Arkham segue mais a linha de um thriller policial. Texto com Spoilers!

O seriado é claramente inspirado nas HQs Gotham City Contra o Crime (Gotham Central no original), escritas por Ed Brubaker e Greg Rucka, que tem como proposta retratar o dia-a-dia dos policiais do departamento de polícia de Gotham, focando no desenvolvimento dos personagens e suas inter-relações. Onde o Batman e seus vilões são panos de fundo dentro da obra.

gotham01

A excelente Hq – Gotham City Contra o Crime foi a principal inspiração para a série.

Esse primeiro episódio gira em torno do assassinato de Martha e Thomas Wayne, ao mesmo tempo em que apresenta o detetive James Gordon, ainda em fase de adaptação a realidade imposta por uma cidade dominada pela máfia, que controla desde a prefeitura até mesmo a polícia de Gotham. A personalidade de Jim remete bastante à figura dele vista em Batman: Ano Um, escrita por Frank Miller e David Mazzucchelli. A presença de Bruce Wayne é pequena, porém bem executada, o desempenho do ator foi tão elogiado pelos produtores que talvez ele tenha outras participações.

A trama se desenvolvendo seguindo a fórmula básica de uma investigação, onde uma pista leva a seguinte e assim por diante. E durante esse percurso vão sendo apresentados os personagens, como os chefões da máfia, os demais detetives (aproveitados da HQ Gotham City Contra o Crime) e também várias caras conhecidas dos leitores do morcego – alguns de forma até precipitada, ficando evidente a intenção de chamar atenção do público. Entretanto cabe ressaltar que esses clássicos vilões estão em início de carreira, ou antes, de se tornarem os personagens que conhecemos, ainda que contenham características que remetem com clareza aos seus alter-egos futuros. E também já começaram com a “brincadeira” envolvendo a identidade do Coringa.

gotham03

Um fato curioso fica pela ausência de um período de tempo pré-estabelecido. Mesmo procurando por parâmetros tecnológicos que serviriam como base é difícil afirmar algo. Porque existem celulares e computadores, todavia há também máquinas escrever… deixando um vago período de tempo que pode se passar a série.

Fazer uma avaliação apenas por um episódio é complicado, mas pelo menos essa a série conseguiu criar uma expectativa sobre seu futuro. Também é bacana fugir do padrão básico das tramas dos super-heróis, carregando um clima diferenciado, onde os personagens e a composição de Arkham se destacaram. No geral os fãs da premiada série Nova York Contra o Crime (NYDP Blue no original) encontrarão várias semelhanças entre as obras. Agora é aguardar para que o programa mantenha o ritmo nos próximos capítulos.

Aqui no Brasil, Gotham estreia dia 29 de setembro, às 22:30 no canal Warner.

Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0
comentários
 
Deixe uma resposta »

 

Deixe uma resposta