0 comentários

Crítica – Mandatory Fun (“Weird Al” Yankovic, 2014)

by on julho 29, 2014
 

Compartilhe!Share on Facebook9Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Desde os anos 80 ele sempre esteve por aí, parodiando o que faz sucesso com uma pegada humorística e irônica. Sim, estou falando de Alfred Matthew Yankovi, mais conhecido como “Weird Al” Yankovic. Esse músico humorista só funciona se o material que ele parodia tem relevância e pode acreditar que o cara estuda a cultura pop à exaustão. Esse ano o sujeito fez questão de mostrar que sabe fazer coisas além de polkas e piadinhas, não que esses dois elementos citados não existam no novo álbum. Além do humor escrachado e besta o cara adiciona críticas sociais e tiradas ácidas, que dão mais conteúdo e distinção para seu novo lançamento.  Sem contar que há mais material original do que seus discos anteriores. Nem só de paródia vive Yankovic.

E como se chama esse novo álbum? “Mandatory Fun” (algo como “Diversão Obrigatória”, com a capa parodiando a publicidade da Coréia do Norte), já mandando o recado do que se trata a compilação. Essa obra traz paródias de “Happy” de Pharrel Williams, que virou uma tirada de sarro com pessoas deselegantes. Em “Tacky”, dá uma de Foo Fighters em “My Own Eyes” e nos presenteia com os épicos nove minutos de “Jackson Park Express”, que é uma música do músico a lá Cat Stevens, sem contar que é a canção de amor do álbum. Parece que “Weird Al” sempre dá um jeito de tacar uma música romântica em seus trabalhos.

O clipe de “Tacky”

É um disco esperto que faz rir, pensar e dá cara nova para músicas que já ouvimos à exaustão. E o que mais tem no álbum? Nele achamos “Handy”, paródia de “Fancy” de Iggy Azalea, com direito a Al mandando ver no rap. Talvez a versão de Yankovic que faz ode ao “faz-tudo” seja mais grudenta na cachola do que a da rapper loira.  E claro que há uma polka misturando vários hits em uma só música, outra tradição do músico. Isso pode ser escutado em “NOW That´s What I Call Polka!”. A polka do álbum começa com “Wrecking Ball” de Miley Cyrus, emenda com “Pumped Up Kicks” do Foster The People, depois “Best Song Ever” do One Direction, “Gangnam Style” do Psy, “Call Me Maybe” da Carly Rae Jepsen, “Scream and Shout” do Will.i.am e isso é só metade da maluquice que dá uma nova roupagem para essas músicas. Mas o que manda bem mesmo é a paródia de “Blurred Lines” que virou “Word Crimes”, uma zoada com os inúmeros erros gramaticais que vemos certas pessoas cometerem na internet.

O music video de “Word Crimes”

Voltando a falar das originais, “Mission Statement” é uma ótima crítica aos jargões corporativos, sem contar que é uma boa balada country-rock. Outra música sem base em outra, mas com influência do grupo Pixies, é “First World Problems” que demonstra como os problemas de pessoas ricas e mimadas são extremamente bestas.

Ficar comentando música por música é meio perda de tempo, o álbum todo é quase perfeito. Para quem gosta de letras engraçadas é uma ótima pedida e tem que escutar desde ontem. O positivo sobrepõe fácil o negativo, sendo que a única canção que achei mais fraca é a “Sports Song”, uma paródia meio sem sal da música esportiva “Fight Fight Fight”. Esse é um trabalho bem feito e que nunca se leva a sério demais, perfeito para quem quer ouvir algo leve e que no fundo tem algum conteúdo, mas sem querer fazer um sermão da mensagem que deseja passar. E é divertido até dizer chega.

Possivelmente o melhor trabalho de “Weird Al” desde “Even Worse”. Esse álbum vai do rap ao indie-rock e nunca perde a qualidade. Al demonstra nesse álbum sua habilidade natural de focar nos tópicos em voga da atualidade, mostrando que esse é um artista que não ficou parado no tempo. É o primeiro álbum de “Weird Al” Yankovic a chegar ao topo das parada de sucesso. Aliás, “Mandatory Fun” é o um dos poucos álbuns de humor a alcançar o primeiro lugar em vendas nos EUA, isso não acontecia desde 1963. Super-recomendado, essa obra cura o câncer, melhora sua vida sexual, traz paz entre os inimigos e coloca um sorriso no rosto.

Ps.: Só garantimos o sorriso no rosto e olhe lá.

Nota: 5 Stars (5 / 5)

Para finalizar o clipe de “Handy”

Compartilhe!Share on Facebook9Tweet about this on TwitterShare on Google+0
Seja o primeiro a comentar!
 
Deixe uma resposta »

 

Deixe uma resposta