0 comentários

Crítica – Stephen King, a Biografia: Coração Assombrado

by on outubro 28, 2013
 

Compartilhe!Share on Facebook5Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Você já cruzou com algum trabalho desse autor, querendo ou não. Como não ficar aflito lendo Carrie, a Estranha? Ou temer pelo desconhecido em A Coisa? Não querer ir atrás de um ser misterioso em A Torre Negra? E há modo de não se assustar com os “demônios”, interiores e exteriores, da Torrance em O Iluminado? Listar os trabalhos desse escritor levariam muitas noites.  O maior autor de histórias de suspense/terror de todos os tempos atende por um sobrenome digno do mesmo. King, Stephen King. Em 40 anos de uma carreira de sucesso ele já vendeu mais de 300 milhões de livros e teve sua obra adaptada para todas as mídias.

Foi praticamente o primeiro mestre horror a tornar o gênero mais popular e urbano. Quase nunca suas histórias se passam em castelos ou cenários exóticos. O medo vem do familiar, a casa de pessoas ditas normais, o vizinho do dia a dia, a vizinhança perfeita. Stephen King destacou no mercado literário americano durante a Guerra do Vietnã, suas tramas cheias de suspense e do sobrenatural em lugares comuns fizeram os americanos esquecerem o horror da vida real.

Para aprofundar ainda mais na vida desse grande escritor, uma boa pedida é o livro Stephen King – Coração Assombrado, lançado recentemente pela editora Darkside Books, uma biografia não autorizada, se fosse escrito no Brasil ia dar merda (Roberto Carlos, Chico Buarque e seus amigos, estou falando de vocês) escrita pela admiradora de King, Lisa Rogak. O autor, que é averso a entevistas, tem sua vida destrinchada aqui, e podemos ver que um dos motivos para ele evitar a exposição é o trauma de ter sofrido um atropelamento enquanto caminhava a beira de uma estrada. Quase perdemos um gênio nesse acidente.

Apesar de não ter acesso direto a fonte, Lisa Rogak fez um excelente trabalho ao compilar um farto material bibliográfico sobre a vida e obra do escritor em um livro deveras informativo. Os obcecados por King – talvez eu me inclua nesses – já possuem conhecimento de muitas das histórias descritas, entretanto para quem deseja tem uma visão mais abrangente sobre a trajetória do autor, esse livro é uma ótima porta de entrada ao mundo sombrio de Stephen King.

King não esconde que suas histórias nascem de seus medos pessoais. Não é atoa que o alcoolismo é um tema recorrente em suas obras, já que ele teve sérios problemas com a bebida no passado. Fã incondicional de quadrinhos – especialmente os de horror – foi criado apenas pela mãe, desde que seu pai abandonou a família do nada quando ainda era uma criança. Sem contar que é um supersticioso de primeira e ao contrário de Mário Zagallo, o rei do terror tem medo do número 13 e se diz presidente da “República Popular da Paranoia”.  Como podem ver todos esses temas estão presentes em seus livros, de um jeito ou de outro.

Agora uma pequena curiosidade, em 1974, o autor escreveu uma história sobre uma menina com poderes paranormais. O cabra não gostou do resultado e jogou o original no lixo, mas por sorte sua esposa o convenceu de repensar a decisão de abandonar de vez o projeto. O resultado foi Carrie, a Estranha. O lixo de Stephen King é hoje um dos maiores clássicos da  literatura de terror. Para saber mais curiosidades sobre a vida desse grande autor, não deixe de conferir essa ótima biografia.

“Ele é um homem brilhante, engraçado, generoso, piedoso, cuja personalidade tem várias camadas” — Peter Straub —

Nota: 4/5

Ps.: Para mais notícias sobre Stephen King confira aqui e aqui.

Compartilhe!Share on Facebook5Tweet about this on TwitterShare on Google+0
Seja o primeiro a comentar!
 
Deixe uma resposta »

 

Deixe uma resposta