1 comment

Crítica – Teenage Mutant Ninja Turtles (3DS, 2DS – 2014) – O novo jogo das Tartarugas Ninja

by on agosto 13, 2014
 

Compartilhe!Share on Facebook9Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Jogos licenciados são uma furada certa, correto? Calma jovem gafanhoto, tem horas que julgar uma obra por meio das outras do mesmo gênero é garantia de deixar passar umas boas pedidas. E presumir sem conhecer é mancada, né? Se bem que jogos licenciados de filmes tem uma fama tão ruim que dá para entender o preconceito. E qual é dessa nova versão das Tartarugas Ninja para o 3DS?

“Teenage Mutant Ninja Turtles” foi feito pelo pequeno estúdio Magic Pockets, publicado pela Activision e é baseado no novo filme de 2014. Não confunda essa versão com o jogo com o mesmo título para 3DS lançado em 2013. O do ano passado é baseado totalmente na versão do desenho da Nickelodeon. O game se passa em Nova York, lar das quatro tartarugas Leonardo, Michelangelo, Donatello e Raphael. O maligno cientista Baxter Stockman juntou forças com o Clã do Pé, agora a combinação dos robôs do Baxter, mutantes cruéis e ninjas do mal são quase imbatíveis. De quebra Baxter que tirar o Destruidor, o maior inimigo das Tartarugas Ninja, da cadeia. Cabe aos anfíbios mutantes adolescentes ninjas deterem Baxter e o Clã do Pé, com a ajuda de sua amiga April O´Neil . Ah, o jogo se passa depois desse novo filme das Tartarugas Ninja.

Esse é um hack ‘n’ slash com alguns elementos de rpg, o game possui uma visão isométrica, é porradaria em várias dimensões, não só em linha reta, entretanto o game é um tanto linear mesmo assim. Hack ‘n’ slash é dar porrada sem pensar muito no final das contas, certo? A jogabilidade rápida e que permite ao jogador trocar entre as quatro Tartarugas a qualquer momento é um bom atributo de “Teenage Mutant Ninja Turtles”. Cada um dos ninjas selecionáveis tem um atributo especial. Leonardo pode lidar contra inimigos de armadura e com escudos mais facilmente, Michelangelo é o mais rápido, Donatello consegue atacar vários adversários ao mesmo tempo e Raphael tem a maior força bruta. Você pode dar upgrade nas habilidades, passivas e ativas, de cada um no decorrer do jogo ao subir de nível. E cada Tartaruga possui seus próprios movimentos especiais. Você também pode utilizar as bugigangas e peças que encontra no decorrer das fases para criar novas armas na base das Tartarugas.

Apesar de não ser muito fã do novo visual desses ninjas verdes, pelo menos tenho que admitir que as Tartarugas estão bem distintas. Não há chances de confundir um irmão com outro nessa versão. E o gráfico para um jogo portátil é bem agradável, nada espetacular, contudo você pode ver que não é uma produção apressada como os jogos licenciados costumam ser. O controle é bem fácil de acostumar, com combos tranquilos de pegar o jeito. É praticamente ligar o game e já sair jogando de boa, sem complicações. Uma diversão bem casual, mas com qualidade. É uma excelente opção para novos jogadores de video games.

Itens variam entre armas para ajudar em sua missão ou pizzas para recuperar sua vida. Algumas fases possuem caminhos secretos, que podem ser acessados usando uma habilidade especifica para a situação, que depende de você estar usando o ninja certo para tal ocasião. Isso é um bom exemplo que cada Tartaruga é melhor que a outra em certos momentos. Mas para mim Donatello continua ser a melhor opção nos games das Tartarugas Ninja devido a seu longo alcance. E por ser a Tartaruga mais legal também. Como você pode usar qualquer um dos irmãos em qualquer momento, morrer é um tanto difícil, pois é só a Tartaruga em questão estar fraca que você muda para outra. O game over só ocorre se as quatro morrerem, então quando se perde é porque deu algum mole. Ou em raríssimas situações que o jogo apela.

Os estágios tem um tamanho apropriado para jogatinas ligeiras, variando de 10 até 13 minutos de duração. Cada fase tem um bocado de save points, então não se preocupe caso tenha que desligar o 3DS do nada. Esse é um bom jogo para sessões rápidas devido aos save points bem espalhados, uma coisa obrigatória para um game portátil. A tela de baixo do 3DS mostra o mapa da fase, sendo fácil se localizar e localizar os adversários. Para facilitar ainda mais, o game te indica para onde ir. Ou seja, tudo muito direto e perfeito para quem quer algo sem complicação.

Quando você termina uma fase, é hora de ir para a base das Tartarugas, o “Turtle Lair”. Lá é possível jogar novamente as fases completadas, participar de missões paralelas e gastar seu dinheiro coletado nos estágios para comprar pizzas ou power ups. Além de criar e equipar armas como dito anteriormente. Caso enjoe da campanha principal,“Teenage Mutant Ninja Turtles” tem um modo de desafio, challanges mode, bem bacana.

A parte chata é que esse é um game curto, em 6, 7 horas no máximo, você já completou tudo. Pelo menos esse curto período de jogatina é agradável. Esse não é um jogo com nada demais, que justifique uma compra imediata, mas o que se tem aqui é muito bem feito. O game expande do universo do filme e usa elementos do desenho da Nickelodeon, o que aumenta bastante a variedade de inimigos, sendo que um deles é o fodástico Slash, uma Tartaruga Ninja do mal. Vale a pena para quem é fã e para quem quer algo divertido e sem enrolação. Contudo, eu recomendo esperar baixar um pouco preço, pois pagar mais de 100 reais nesse jogo curto é dose.

Trailer do jogo Teenage Mutant Ninja Turtles  2014. Não confundir com a versão do desenho de 2013. Por incrível que pareça esse game do novo filme é melhor. Só no quesito jogo que o filme de 2014 ganha, só pra constar.

Nota:  3 Stars (3 / 5)

Para ver mais críticas e novidades sobre o portátil da Big N clique AQUI.

Compartilhe!Share on Facebook9Tweet about this on TwitterShare on Google+0
comentários
 
Deixe uma resposta »

 

Deixe uma resposta