3 comentários

Esse meu jeito de viver ninguém nunca foi igual … Review: Pokémon X e Y

by on outubro 9, 2013
 

Compartilhe!Share on Facebook44Tweet about this on TwitterShare on Google+0

GTA V é o jogo do ano? Não creio, um velho conhecido chega com uma cara nova para conquistar novos fãs e reconquistar marmanjos. 

Pokémon X e Y são jogos que brilham nos pequenos detalhes. Ao ligar meu 3DS e iniciar minha jornada em Pokémon X , fiquei espantado com a velocidade dos acontecimentos. Uma breve introdução explica o que é o mundo Pokémon, essa abertura é realizada pelo novo professor, o professor Sycamor. Depois ocorre a habitual pergunta, que para muitos é mais profunda do que parece, se você é um homem ou uma mulher. Após escolher meu personagem masculino, e colocar o singelo nome de “Maledito” nele, o protagonista que havia acabado de criar é acordado de maneira rude pelo Pokémon pássaro da família, Fletchling, que vem voando de maneira graciosa e mostrando como é belo o mundo Pokémon totalmente em 3D. Depois que saio do quarto, sou lembrado pela mãe de Maledito que andar de pijamas fora de casa não é aconselhável, e então prossigo para o espelho, pois é, para colocar roupas apropriadas. Ao sair de casa recebo as boas vindas, de duas belas mocinhas,  por ter acabado de me mudar para Vaniville Town,  e elas me convidam para ir encontrar com seus amigos que dizem que o professor Sycamor já sabe de minha chegada e tem um Pokémon para mim. Nisso eu sigo até uma praça onde conheço a gangue inteira: Tierno, Trevor, Shauna e Serena. As duas últimas foram as que me recepcionaram na porta de minha casa, e junto com elas, eu acabo de receber meu primeiro Pokémon. Claro que escolhi o sapo Froakie (que recebeu o devido apelido de Kermit), Shauna ficou com a raposa Fennekin e Serena com o ouriço Chespin. Assim que me despeço e me preparo para entregar a carta de alforria para minha mãe, dizendo que posso passear pelo mundo sem responsabilidades e o escambau (o mundo Pokémon é muito estranho),  Shauna me desafia para um combate. Froakie vs Fennekin, que para o azar da jovem, meu Froakie já veio com o ataque Bubble (Bolha), e em apenas um ataque crítico derrotou o Pokémon de fogo de minha rival. Esses são os primeiros 10 minutos do novo Pokémon. Sendo que em uma hora você terá um par de patins, poderá capturar um Pikachu, que é um dos poucos Pokémons que faz a voz do desenho e não um barulho genérico, e terá obtido sua primeira insígnia. E com mais uns minutos adiante você irá batalhar o próprio professor Sycamor e terá a chance de pegar um dos Pokémons iniciais originais, Bulbasaur, Charmander e Squirtle.

O jogo tem um ritmo muito melhor que seus antecessores, começando sem frescura e indo direto ao que interessa como vocês puderam perceber no parágrafo anterior. O enredo do jogo continua o mesmo, desafiar os líderes de ginásio para adquirir insígnias e então desafiar a Elite Four. Adicione nisso o mistério sobre a Mega Evolução, que você terá o mesmo conto de sempre, mas sendo realizado de maneira mais rápida e divertida.

pokemonxy

O novo mundo com gráficos em 3D poligonal, introduz um bocado de novidades na jogabilidade. Jogadores podem customizar seus personagens com novas roupas e novos cortes de cabelo, a câmera utiliza vários ângulos nos combates, dando mais emoção para o mesmo e fora deles, os zooms in e out da mesma  dá  mais dinamismo para o mundo. Mesmo com as mudanças, os fãs das antigas vão se sentir em casa, a Nintendo manteve a mesma estrutura básica , ou seja, os menus de navegação e batalha ainda são os mesmos, porque em time que está vencendo, mais de uma década por sinal, não se mexe, certo? Um fator bem negativo nessa experiência toda é que a Big N superestimou o poder do 3DS em Pokémon X e Y. O jogo sofre alguns momentos de slowdown, principalmente para aqueles que mantém o recurso 3D ativo (é bom deixar claro que o efeito 3D funciona, na maior parte do tempo, nas batalhas), recomendo desativar esse modo, mas fica o aviso que mesmo assim haverá momentos de lentidão, mas será em menor quantidade.

Há dois tipos novos de batalha em X e Y, batalha áreas e batalhas de hordas. No primeiro novo tipo o jogador só pode lutar utilizando Pokémons voadores ou que possam flutuar. O segundo novo tipo de combate coloca sua criatura contra outras cinco ao mesmo tempo. Esses novos combates colocam um pouco de inovação nas batalhas e quebram a monotonia das lutas tradicionais. Outra adição é um novo tipo de Pokémon, o tipo fada, que é forte contra lutador, dragão (sendo imune a qualquer golpe desse tipo) e escuridão, mas é fraco contra veneno e ferro.  Essa inclusão muda muito o meta jogo no quesito de combates, e será analisada pelos jogadores avançados de todas as maneiras possíveis.

Pequenas mudanças deixam esse jogo bem mais agradável que os anteriores. Por exemplo, agora o Experience Share distribui a experiência entre os membros de seu time de maneira bem mais eficiente, o Pokémon que combateu ganha metade do XP total e o resto divide a outra metade. Também há o modo Pokémon Amie, que é tipo um Nintendogs, onde você pode acariciar, brincar e alimentar seu Pokémon. A principio parece apenas uma distração, mas caso você aumente a amizade entre você e seu pocket monster, sua criatura poderá resistir a ataques de status em situações que ela não deveria, evitando dormir no caso de um Sleep Powder que teve sucesso apenas para te agradar, ou dar mais dano em golpes como Return.  A adição do Super Treino para turbinar certos status de suas criaturas também é algo que deixa o jogo mais amigável para treinadores que não querem aprofundar em maluquices como EV training, pois é um jeito ágil, funcional, e quem diria, divertido, de dar um boost em status de seus Pokémon via mini jogos.

A série sempre teve sua magia, mas de uns tempos para cá afastou seus fãs mais antigos. Não mais. Além de essa versão trazer Pokémons de todas as versões anteriores, principalmente da primeira, ela traz um visual inovador, mil atividades extras, até tirar fotos de pontos turísticos é algo presente nesse jogo, e um modo online, que imagino ser viciante, já que esse ainda não tive o prazer de testar. O jogo se estende bem além campanha principal, o tempo de jogatina é quase infinito para quem quiser investir. Pokémon X e Y (apesar que eu avaliei a versão X) fez com que eu me sentisse no colégio novamente, a nostalgia de treinar suas próprias criaturas, tentar capturar todos, trocar Pokémons … É um sentimento único de familiaridade e novidade, algo que pouco jogos podem prover, e esse faz com uma maestria única.

Nota: 5/5

Compartilhe!Share on Facebook44Tweet about this on TwitterShare on Google+0
comentários
 
Deixe uma resposta »

 

Deixe uma resposta