1 comment

Penny Dreadful – Crítica/Review do Primeiro Episódio

by on maio 12, 2014
 

Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Penny Dreadful tem seu começo com a investigação do desaparecimento da filha de um homem influente, o Sir Malcolm (Tomothy Dalton), renomado explorador de terras africanas. Ethan Chandler (Josh Harnett), um americano charmoso recém-chegado à cidade, é recrutado por Malcolm e Vanessa Ivens (a sempre bela, mesmo com um visual estranho, e competente Eva Green), uma mulher misteriosa com dons sobrenaturais, para ajudar a solucionar o caso da garota, que foi levada por criaturas que habitam o submundo da Londres vitoriana. O trio ainda conta com a ajuda do Dr. Victor Frankenstein.

Para começar, é bom explicar o significado do nome da série, para quem não sabe, já que isso também explica a proposta da mesma. Penny Dreadful era um popular tipo de ficção na Inglaterra vitoriana, na qual histórias sanguinárias e sensacionalistas eram publicadas em série. Cada edição custava um centavo (penny, em inglês) e por isso as histórias se tornaram populares entre a classe trabalhadora. Muitos personagens famosos hoje, como Sweeney Todd ou a lenda urbana de vampiros subterrâneos surgiram no Penny Dreadful.

penny-dreadful-poster-2

Eva Green além das telonas agora irá deixar sua TV mais assustadora e sensual. Ou algo do tipo.

Os 52 minutos do primeiro episódio, “Noite de Trabalho” (“Night Work” no original) passam sem você perceber, o que dá uma ótima primeira impressão do que esta por vir. Apesar de já ter dito do que se trata a série, vamos a um resumo do que foi proposto nesse piloto. A filha de Sir Malcolm sumiu. Obcecado em encontrá-la, ele e sua atual “auxiliar” Vanessa Ives, que tem um dom sobrenatural, contratam o excelente atirador Ethan Chandler para auxilia-los na busca. Durante essa busca, o trio vai encontrando alguns seres e personagens das lendas do gênero Penny Dreadful.

O seriado lembra um pouco Hemlock Grove e American Horror Story. A semelhança existe principalmente pelo fato dessas séries terem o mesmo ambiente voltado para o terror, contudo isso para por aí. O terror é moderado, pelo menos até o momento, não é nada muito exibicionista, é mais focado no lado psicológico. O maior trunfo do episódio piloto é a ambientação. Londres é escura, suja e terrível e a trilha sonora passa as mesmas sensações. O elemento de investigação é tão bom que o programa é o mais próximo que eu já vi um seriado chegar de uma atmosfera lovecraftiana ou de Allan Poe.

E você, vai conferir a nova atração? Anote na agenda: Penny Dreadful estreia no Brasil em 13 de junho, às 22h, na HBO. Ou confira pelo bom e velho torrent.

Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0
comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • sofia martínez
    junho 19, 2014 at 1:57 pm

    O que eu mais gosto sobre a série é definitivamente a caracterização e todo o trabalho de atmosfera
    visual e musical. Embora isso me assusta a verdade é que eu realmente gosto.

    Responder

Deixe uma resposta