5 comentários

Quais os melhores RPGs japoneses? TOP 10 JRGS (Até 2014)

by on setembro 10, 2014
 

Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0

JRPG é um jogo de RPG feito na Terra do Sol Nascente, Japão. Sim, o J é de japonês. Normalmente eles possuem um sistema de combate em turnos, costumam ter histórias épicas, um traço no estilo anime, vários personagens recrutáveis, um mundo gigante e trilhas sonoras magistrais. Porém, é normal que um ou outro desses elementos seja ignorado ou tratado de forma diferente. No passado foram muito celebrados, mas hoje em dia muitos reclamam desse gênero, pois ele ficou preso em seus próprios clichês e o ocidente passou a produzir RPGs de grande qualidade também. No entanto nem tudo está perdido. Nos últimos dez anos saíram algumas pérolas de JRPG, e o gênero já produziu muito material de qualidade em um passado um pouco mais distante. Então fica uma pergunta no ar: Quais seriam os melhores role-playing game japoneses? Quais te mergulham no mundinho de fantasia, te fazem querer viver a aventura, possuem um bom sistema de combate e boa história? São vários, claro, contudo resumimos a lista para os 10 melhores. E nada de mais de um jogo por franquia. Isso acabou sacrificando pérolas como Final Fantasy VII, FFIX, Persona 3… E infelizmente clássicos como Xenogears, Grandia, Star Ocean: The Second Story, Breath of Fire III e Last Story também ficaram a ver navios. São grandes jogos todos os já citados, entretanto, os que listamos abaixo são os melhores de suas franquias, caso haja franquia, e do seu meio. Sem mais delongas, O TOP 10 MELHORES JRPGS DE TODOS OS TEMPOS … Até 2014 pelo menos. Faça um favor a você mesmo e depois de ler essa matéria, confira essas obras primas.

chrono-triggerChrono Trigger

Viagem no tempo? Confere. Batalhas em turnos com combos e onde o timing importa? Confere. Equipe de realizadores dos sonhos? Confere. Chrono Trigger é um daqueles jogos praticamente perfeitos que surge uma vez a cada década. Um projeto que envolve o criador de Final Fantasy, Hironbu Sakaguchi, o criador de Dragon Quest, Yuji Horri, o criador de Dragon Ball, Akira Toriyama, e a trilha de Nobuo Uematsu. Tem como pedir mais? Com múltiplos finais, um sistema de combate inovador, personagens marcantes e dificuldade na medida para novatos e veteranos, esse é um RPG que vai fazer você jogá-lo várias e várias vezes. Um clássico atemporal.

personaShin Megami Tensei: Persona 4

Um RPG com um combate de turnos bem tradicional. Aqui você é um garoto da cidade grande que vai passar um ano no interior morando com seu tio. Mas logo a vida simples na pequena cidade revela-se bem mais do que aparenta. Misteriosos assassinatos ocorrem e logo você se vê agraciado com um misterioso poder de convocar Personas… e entra num mundo dentro da televisão para resolver enigmas e salvar pessoas nessa história cheia de reviravoltas. Explorando fraquezas elementais para ganhar mais turnos, tendo elementos de dating sims na relação com os personagens (social links) e uma boa dose de humor e drama, esse é um JRPG moderno que ninguém pode deixar passar. E se tiver um Vita não deixe de conferir o remake para esse console, com mais eventos, Personas, social links e habilidades do que a versão original. Ah, e Chie é a melhor waifu, e tenho dito.

ff6Final Fantasy VI

Esse foi o primeiro Final Fantasy a sair da temática medieval da série e introduzir elementos tecnológicos, que nesse caso seria algo equivalente a Revolução Industrial. O sexto capítulo da franquia Final Fantasy centra em grupo de rebeldes tentando derrubar um império ditatorial. FFVI possui quatorze, isso mesmo, quatorze personagens jogáveis. A maior quantidade de figuras selecionáveis até hoje na série. É considerado pelos fãs de Final Fantasy como o jogo com a melhor trama e o melhor da geração SNES. E, para completar, a trilha de Nobuo Uematsu, sempre ele, para Final Fantasy 6 é considerada, até hoje, uma das melhores do mundo dos games em geral.

xenobableXenoblade Chronicles

Um JRPG da Monolith Soft que saiu no fim da vida do Wii. O sucessor espiritual de Xenogears e Xenosaga. É o melhor dos games da família Xeno. Nesse jogo você encarna Shulk, um garoto que possui uma espada especial chamada Monado e poderes premonitórios. O protagonista se junta a seus amigos para destruir os terríveis Mechon, seres mecânicos que ameaçam o mundo do herói. Xenoblade possui uma interface no estilo dos rpgs online, MMOs, com um sistema de combate também no estilo desses, mas que você pode assumir o papel de qualquer personagem da sua equipe. E de quebra ainda há um grande mundo aberto para os jogadores explorarem e você encara robôs gigantes na mão. Já disse que você encara robôs gigantes na mão? O que mais você quer? Para quem perdeu a versão do Nintendo Wii, um remake para o New 3DS está a caminho.

suikodenIISuikoden 2

Um RPG de turnos que se passa três anos depois do game original. Nessa aventura você controla Riou. Ele e seu melhor amigo, Jowy Atreides, acabam, acidentalmente, tendo seus destinos e ambições indo cada vez mais para caminhos distintos ao se envolverem em uma sanguinolenta guerra. Um jogo que, mesmo com elementos fantásticos, mostra o quanto uma guerra pode ser realmente terrível e cruel. Você pode recrutar 108 (até mais na verdade) personagens para se juntar à sua causa. Os personagens variam entre ser jogáveis em combate, aqueles que habilitam mini games ou até mesmo lojas no castelo do protagonista. Um clássico polido ao extremo e muitas vezes esquecido injustamente. E se você tentar adquirir o final secreto de Suikoden II… Prepare-se para um grande desafio.

paper-marioPaper Mario: The Thousand-Year Door

Mais um RPG de turnos, como a maioria dos JRPGS. Só que esse conta com a presença do encanador mais famoso do mundo dos games. O segundo game da franquia Paper Mario é o ápice da franquia. Com um combate divertido, onde timing de botões define golpes mais fortes e defesas mais eficientes. Também há companheiros exóticos, cada um com habilidades completamente distintas do outro. Para completar o game possui uma arte única, poderes baseados em papel (como virar aviãozinho e barco), um mundo com muita coisa para ser explorada e um roteiro hilário e sarcástico. É um dos melhores RPGs do meio, algo que você nunca iria esperar do rei das plataformas. Sim, eu sei que existe o aclamado e bom Super Mario RPG: Legend of the Seven Stars da Square para o SNES, mas acredite, The Thousand-Year Door supera o game do Super Nintendo em todos os sentidos. Misturando perfeitamente o estilo de plataforma tradicional de Mario e o sistema de JRPG, esse é o game para quem quer algo diferente e um roteiro surpreendentemente bom, cheio de meta referências. E por incrível que pareça o vilão final não é o Bowser… Pois é.

earthbound-hexEarthBound

Mesmo sendo um sucesso no Japão, no ocidente foi um fracasso de vendas na época. Mas hoje em dia é um clássico cult. Celebrado entre os gamers pelo seu humor e visão bizarra da cultura americana, esse game é sempre lembrando pelo pessoal da geração Super Nintendo. EarthBound se passa na Terra, mas uma Terra um pouco diferente da nossa, mais estranha. No ano de 199X o jogador controla Ness, Paula, Jeff e Poo num jogo que quebra estereótipos e faz com que você esqueça de espadas e dragões. Em EarthBound até um ioiô pode ser uma arma. E seus inimigos variam de formigas, cobras até uma pilha gigante de vômito e hippies malucos. É um game diferente de qualquer coisa já feita, desafiador, divertido, engraçado e extremamente tenso ao mesmo tempo. EarthBound realmente mexe com as emoções do jogador. Além do SNES ele pode ser adquirido hoje em dia no eshop do Wii U.

the-world-endsThe World Ends With You

Um jogo que se passa em Shibuya, o badalado distrito de compras de Tóquio. Com ambientação moderna, trilha sonora descolada e estilo artístico jovem, é uma celebração da cultura adolescente japonesa da década de 2000. Nesse game o anti social Neku Sakuraba e seus aliados se veem forçados a participar de um jogo que irá determinar o destino deles. É jogar ou ser apagado da existência. Sem contar que eles têm que descobrir o porquê, com algumas exceções, ninguém consegue enxergá-los e, ainda, quem está por trás dessa terrível armação? O sistema de combate utiliza todos os recursos do Nintendo DS, indo das duas telas, caneta, microfone e você controla o aliado ativo no D-Pad. É um sistema de combate divertido, em tempo real e que exige muita atenção. A versão para o iOS e Android de TWEWY é bem mais fraca, apesar de ter gráficos melhorados, simplifica demais o sistema de combate e tem uma jogabilidade com péssima resposta. Fique com a versão clássica do DS.

dragonquestVIDragon Quest V: Hand of the Heavenly Bride

Dragon Quest V foi feito pela Chunsoft e pela Enix Corporation quando essa nem era Square Enix. Originalmente para o SNES, o game ganhou remakes para o Playstation 2 e para o NDS. E só esses remakes chegaram no ocidente. Dragon Quest V é um game que aborda 20 anos da vida do protagonista. Nele, você além de combater o mal, irá se casar e ter uma família. O game é ótimo, possui  a clássica trilha da franquia, um sistema de combate dinâmico, elenco único e até mesmo a oportunidade de monstros que você encara no mapa se oferecerem a se juntar a seu time. Só para constar, a versão definitiva é a do Nintendo DS.

skiesofarcadiaSkies of Arcadia

Vyse é um jovem pirata e protagonista desse game inspirado no estilo steampunk e em A Volta ao Mundo em Oitenta Dias, de Júlio Verne. Com uma boa dose de animes no meio para ficar mais maluco, claro. Vyse e seus amigos tem que deter o Império Valuan de ressuscitar armas ancestrais, com o poder de destruir o mundo. SOA é um RPG à moda antiga, com combates por turnos e encontros randômicos. A inovação prende-se no fato de haver combates entre embarcações, nas quais há uma grade onde se escolhe determinadas ações num turno, ao bom estilo de um RPG de estratégia. Personagens cativantes, nada emos e alto astral, são elementos que embalam essa aventura pelos mares e pelos céus. Ah, e as músicas desse jogo da Sega são memoráveis. O game saiu originalmente para o Dreamcast, contudo a versão definitiva é a do Game Cube, conhecida como Skies of Arcadia Legends. A versão Legends possui loads menores, gráficos melhorados e conteúdo adicional.

 

O que achou da lista? Concorda? Discorda? Esquecemos de citar algum clássico? Deixe sua opinião nos comentários. Por enquanto é só pessoal e inté mais!

Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0
comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • Diego
    setembro 11, 2014 at 9:53 am

    Persona 3 = Persona 4, impossível escolher o melhor entre esses, a única parte “diferente” é que tu controla os outros personagens nas batalhas em Persona 4… e os gráficos são mais “fofos”, é mais claro, Persona 3 ainda tem um pouco de Nocturne nele…

    Responder

    • Calhorda Explosivo
      setembro 11, 2014 at 10:26 am

      Com certeza é complicado escolher entre os dois. Persona 3 é um game excelente e possui até um final mais épico e melancólico. Contudo acho que Persona 4 tem mais conteúdo, mais eventos extra curriculares, as pequenas mudanças no sistema de combate deixam tudo melhor, aprofundamento em todos os membros da sua equipe, social links mais completos e uma trilha mais bacana. Mas jogar Persona 3 é obrigação para qualquer fã de JRPG. De qualquer modo, embarcar em qualquer um desses clássicos da Atlus é garantia de divertimento.

      Responder

  • Danilo Gutierrez
    setembro 12, 2014 at 8:44 am

    Na minha opinião Persona 2 é superior a todos os outros persona por inúmeros motivos,os outros só são mais famosos por apelarem comercialmente, mas sinceramente SMT tem jogos muito melhores que só persona, Digital Devil Saga por exemplo tem uma das histórias mais lindas já criadas, empata com persona 2

    Responder

  • Pablo Fernando
    setembro 12, 2014 at 9:23 am

    Xenoblade Chronicles, majestoso! Dessa lista aí em cima já joguei 90% e nenhum pode ser comparado com Xenoblade. infelizmente, o jogo não era meu e não tive a oportunidade de zerar. O preço no ML é absurdo.

    Responder

  • Luiz Alberto Felix
    julho 23, 2015 at 8:31 pm

    The World Ends With You poderia ter sido facilmente substituido por Tales of Symphonia ou muitos outros JRPGs que superaram esse aí (não que o título não seja bom, longe disso, mas não se enquadra no TOP10)

    Responder

Deixe uma resposta