0 comentários

Quem é Jessica Jones antes da Netflix? Conheça como é a detetive e ex-heroína nos quadrinhos

by on novembro 17, 2015
 

Compartilhe!Share on Facebook139Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Então, quem diabos é Jessica Jones? Resposta rápida: Uma ex-heroína que virou detetive depois de ter tido uma experiência muito, muito ruim quando usava colante. Resposta longa…

Jessica Campbell Jones é uma criação do escritor Brian Michael Bendis. Ela surgiu nos quadrinhos da Marvel em 2002, como uma personagem de segundo escalão. Jessica frequentou a mesma escola que Peter Parker, o Homem Aranha, e chegou a ter uma quedinha pelo nerd. Depois de um acidente de carro com um caminhão que levava produtos radioativos, a jovem entrou em coma e sua família, infelizmente, morreu. Ela ficou em coma por alguns meses e nesse meio tempo foi adotada pela família Jones.

jessica-jones-640x360

Krysten Ritter como Jessica Jones

Após a jovem acordar do coma, os Jones a colocaram novamente no Midtown High, colégio que ela já frequentava. No entanto a garota começou a ser excluída do meio social e, para piorar, ela sofreu bullying do Flash Thompson. Sim, o mesmo cara que sacaneava o Homem Aranha na adolescência. Pelo visto o cara é profissional nisso. Ah, o apelido da Jones nessa época era “garota do coma”, a vida não pega leve com ela. De qualquer modo, Peter Parker tentou se aproximar de Jessica, no entanto ela achou que o sujeito estava fazendo isso por pena, saiu correndo enraivecida e, de uma hora para outra, ela estava voando.

Como sempre, nos quadrinhos, produtos radioativos são sinônimo de poderes. Pena que ela não tem muito controle dessa habilidade, nem quando adulta. Em seu primeiro voo, ela começa perder controle e cai. Para a sorte da garota, Thor estava por perto e a resgata. Depois ela acaba descobrindo que além de poder voar, sem muito jeito, Jessica tem super força e resistência sobre-humana. Com essas novas habilidades, ela acaba detendo, meio que sem querer, o vilão Escorpião. Inspirada pelos atos heroicos do Homem Aranha, Jessica Jones decide se transformar numa super-heroína, a Safira. Com uma roupa colante mais anos 80 impossível e cabelo rosa.

    jessica-jones-jewel-jpg

O visual de Jessica Jones como Safira (em inglês era Jewel) nos quadrinhos. Ela depois usa as alcunhas de Paladina e Poderosa, sem esse visual retro. 

Tudo ia muito bem para Safira até seu caminho cruzar com o vilão Zebediah Killgrave, um ex-espião soviético sem escrúpulos, conhecido como Homem-Púrpura. Antes de Jessica Jones, Killgrave era um inimigo recorrente do Demolidor, e nunca havia oferecido muita dificuldade para o vigilante escarlate. E qual o poder do Homem-Púrpura? Controlar a vontade das pessoas, correção, fazer as pessoas QUEREREM fazer o que ele diz. Então é como se a ideia surgisse do indivíduo. A pessoa escravizada fica com uma sensação fantasma, mesmo depois de Killgrave largar a pessoa de seu controle, de que a vontade de cometer o que o Púrpura mandou era dela.

De qualquer modo, Jéssica se deparou com uma briga em um restaurante e descobriu que Homem-Púrpura havia ordenado as pessoas a lutar entre si. Apenas para a diversão pessoal do maníaco, claro. Quando tenta intervir, Púrpura subjuga a vontade da heroína, faz ela atacar os policiais e a manteve sob seu domínio por oito longos meses.

david-tennant-is-killgrave_article_story_large

David Tennant como Homem-Púrpura. No seriado ele não terá a pele roxa, provavelmente utilizará roupas roxas para compensar.

A história de Jessica Jones é o que acontece quando o herói não se recupera de um trauma, quando o vilão quebra, espiritualmente, seu adversário. Ela é desiludida com o mundo e não vive, apenas sobrevive um dia de cada vez. No fundo ainda há uma heroína dentro dela, que ela tenta afogar com bebidas e outras decisões autodestrutivas. Em Jessica Jones vamos ter um contato mais direto com o submundo, as investigações, de suspeitas de traição até pessoas desaparecidas, e problemas mundanos, como pagar contas ou não ter dinheiro para uma birita.

Jessica Jones é única no universo Marvel. Seus arcos possuem um quê de quadrinhos pulp, neo noir e, para uma referência mais atual, uma pegada True Detective. Isso principalmente na revista “Alias” e um pouco em sua fase em “The Pulse”. Jones não é a Mulher Maravilha, ela não é um arquétipo de ser idealizado e perfeito, ela é falha e baseada em conceitos atuais. Jessica é sarcástica, pessimista, fuma que nem uma chaminé, não leva desaforo para casa e, mesmo contra a vontade, faz mais do que o possível para ajudar quem precisa.

A detetive tem um grande rancor dos outros heróis Marvel no arco das revistas “Alias”. Isso porque quando ela estava no fundo do poço, sob domínio do Homem Púrpura, desaparecida, ninguém sentiu sua falta. Nem seus ditos amigos, nem os grandes Vingadores. Falando nos Vingadores, eles meio que espancaram a garota quando ela estava sob domínio de Killgrave. Carol Danvers, a Miss Marvel, amiga de Jessica, demorou para notar que era a jovem que eles estavam enfrentando, e quando percebeu, o estrago já estava feito.

Outro ponto forte em Jessica Jones são suas relações amorosas. Seja o branquelo bondoso e atrapalhado, o ex-ladrão Scott Lang, também conhecido como Homem-Formiga. Ou seu futuro marido, o negão de atitude, herói de aluguel e sem papas na língua Luke Cage. Jessica não gosta de deixar os outros se aproximarem demais dela. Obviamente a moça tem problemas em confiar no próximo, também o que ela já passou, e no seriado provavelmente só veremos a relação dela com Cage.

luke-cage

Mike Colter como o herói e dono de bar Luke Cage

Curiosamente, Jessica Jones por ter surgido na linha Marvel Max, sempre foi uma personagem com histórias mais adultas e temas pesados. E não é à toa que ela foi a primeira personagem da Marvel a falar “fuck” nos quadrinhos. Hoje em dia, infelizmente, o principal papel de Jessica Jones nas HQ’s é ser a mãe da filha de Luke Cage, Danielle Cage. Contudo, depois do seriado da Netflix, duvido que Marvel deixa ela apenas no banco de reserva dos Vingadores.

Então, isso é o que você precisa saber de básico sobre Jessica nos quadrinhos para cair de cabeça no seriado dela na Netflix. Com certeza a abordagem da série será diferente em vários pontos da HQ, ainda mais que o universo de heróis nas telas não possui tantos heróis como nos gibis. Por exemplo, como Jessica irá superar seu trauma de Killgrave sem a ajuda da telepata Jean Grey? Sim, a X-Man foi quem ajudou ela a bloquear essa parte de sua vida. No entanto, a mutante ruiva não pode ser utilizada pela Marvel nas telinhas e nem nas telonas, os X-Men são da Fox no meio audiovisual. Então o que fazer? Eu aposto numa pegada, na medida do possível, mais realista e ainda mais sombria do que nos quadrinhos. Com certeza teremos apenas a presença de heróis mais urbanos, nada de seres super poderosos como Thor ou Hulk. Quem sabe poderemos assistir, em algum momento, a parte em que Jessica Jones e Luke Cage viram seguranças de Matt Murdock? Sim, ela e Cage trabalharam na “proteção” do Demolidor. Coisas de quadrinhos. Agora é esperar para ver se a Netflix supera o trabalho soberbo que fizeram com Demolidor. Que venha Jessica Jones no dia 20 de novembro.

Trailer de Marvel’s Jessica Jones

 

Compartilhe!Share on Facebook139Tweet about this on TwitterShare on Google+0