3 comentários

Crítica – Shantae and the Pirate’s Curse (Exclusivo para 3DS e Wii U)

by on outubro 28, 2014
 

Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Shantae teve uma estreia tímida no Game Boy Color, no longínquo ano de 2002. Foi um jogo muito cultuado pelos críticos, mas essa pérola 2D dos jogos de plataforma não vendeu muito. Mas ainda bem que isso não desanimou sua produtora, a WayFoward. Depois de uma divertida sequência para o DS em 2010, Shantae: Risky’s Revenge (também disponível no eshop do 3DS e tem um remake batuta no Steam), a (ex)meio-gênio Shantae volta em 2014 mais uma vez para o mundo das aventuras side-scrolling. Prepare seus dedos para Shantae and the Pirate’s Curse, um game feito com maestria, por aqueles que manjam de plataforma, jogabilidade e exploração como ninguém. Ainda mais que dessa vez a WayFoward contou com a ajuda dos desenvolvedores de Megaman Zero e criadores de Azure Striker Gunvolt, a Inti Creates.

Inspirado em Metroid e Castlevania até dizer chega, assim fazendo parte do famoso subgênero metroidvania, Shantae and the Pirate’s Curse é um game com longa duração, para um título baixável pelo menos, e é extremamente polido. Algo que deixaria os criadores das franquias que inspiraram Shantae orgulhosos. À primeira vista esse game é muito parecido com o antecessor, Risky´s Revenge, mas não se deixe enganar. Pirate´s Curse tem um design ainda mais não linear que a aventura anterior. Sem contar que como nessa aventura Shantae “virá” (bem ou mal…) uma pirata, tendo de trabalhar com sua arqui-inimiga Risky. Assim a heroína ganha acesso a poderes como uma pistola, uma espada cimitarra e uma bota mágica, que permite dar mega dash, pra lá de útil. Nada de transformações nessa jornada. Ah, claro que há aquelas áreas que você terá de voltar depois, com um poder que tu adquire mais pra frente, sim, que nem Metroid. Não falei que era metroidvania até dizer chega?

De qualquer modo, o jogo é belíssimo, ainda mais para quem ama pixel arte. É um tributo à arte dos bitmap sprites, algo que anda desaparecendo nos tempos atuais, que sempre buscam atalhos com objetos pré-renderizados e afins. Todo sprite levou tempo para ser feito e foi pensado em como iria integrar com o resto do game. As duas últimas fases irão te deixar boquiaberto, devido a tamanha beleza e quantidade de coisas presentes no cenário. O mundo de Pirate´s Curse é cheio de vida, personagens tem vários frames de animação, dos principais até o inimigo mais inútil. Pois é, não é só a arte que é de encher os olhos, a animação é de primeira também. Há chefes que ocupam a tela inteira e a Scuttle Town vai se transformando ao longo do jogo. Não via tanto capricho com sprites desde a época do Neo Geo.

shantae3ds

Para um jogo que você irá baixar no eshop do seu 3DS até que ele tem um tempo de duração considerável, cerca de 9 horas de duração se tu quiser o melhor final. É por isso que o game custa 20 doletas, um pouco mais caro do que o jogo de download tradicional. Doí o bolso, né? Entretanto a quantidade de conteúdo no pacote justifica a facada. E essa duração é sem contar o New Game+, que possui novos poderes para se adquirir e ainda mais desafios. Pois é, a WayFoward pirou de vez na produção desse game, não é por menos que ele atrasou mais de um ano da data original de lançamento.

Mas eu estou só na babação de ovo desse game nessa crítica, tem algo que não é bom? Sim, assim como os games anteriores, muito dos objetivos de Pirate´s Curse são acionados conversando com NPC´s. Até aí tudo bem. O problema é que tem horas que você recebe uma missão e não fica tão claro assim. E o pior, algumas vezes o diálogo que dá a dica para resolver a tarefa não é mais repetido pelo lazarento do NPC. Isso é meio chato. Poderia ser resolvido com uma seta ou algo do tipo indicando no mapa para onde você deve ir a seguir. Ainda mais para quem quer focar mais na plataforma do que na exploração. Ah, o mapa também não é lá dos melhores. Mas isso são reclamações pequenas, nada que comprometa essa pérola.

O jogo tem de tudo um pouco: humor, exploração, drama, plataforma, combates difíceis, corrida, puzzles e armas criativas. Bater nos inimigos com um rabo de cavalo nunca foi tão prazeroso. Esse game é a despedida de Shantae dos portáteis da Nintendo, já que Half-Genie Hero, o próximo game da heroína, feito com patrocínio dos fãs via Kickstarter, com uma arte belíssima feita à mão, será apenas no Wii U, Xbox One, PS4, Steam, e outros.

Com personagens carismáticos, a trilha sonora sempre certeira de Jake Kaufman, um 3D que funciona, algo raro em games do 3DS, e uma jogabilidade de primeira, esse é um game que já nasceu cult. Se você gostou dos “Shantaes” anteriores, esse é ainda melhor. E se ainda não jogou nenhum, baixe logo Pirate´s Curse, é o melhor disparado, e você verá como jogos de plataforma ainda podem ser relevantes e originais hoje em dia. O que você ainda tá fazendo aqui? Faço o download pra ontem dessa belezura e me agradeça depois. De nada.

Nota: 4 Stars (4 / 5)

Confira nossa outras críticas de games para 3DS: Azure Striker Gunvolt, One Piece: Unlimited World Red, Tomodachi Life, Kirby: Triple Deluxe, Professor Layton vs Phoenix Wright: Ace Attorney e outros.

Trailer de Shantae and the Pirate’s Curse

Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0
comentários
 
Deixe uma resposta »

 

Deixe uma resposta