3 comentários

Crítica: The Walking Dead Season 2 – Episode 1

by on janeiro 3, 2014
 

Compartilhe!Share on Facebook2Tweet about this on TwitterShare on Google+0

A primeira temporada do jogo The Walking Dead, lançado em 2012 foi uma grata surpresa para o mercado dos games. Não pelo tema, pois os zumbis já estão em alta há algum tempo, e a obra de Kirkman já era conhecida pelas HQs e o seriado de TV, então era de se esperar por um jogo.  Mas com certeza ninguém imaginaria um point-and-click em uma geração cheia de FPS e tiro em terceira pessoa. Parabéns a Telltale Games pela inovação e a coragem.

A segunda temporada começa exatamente do ponto que a primeira terminou, ou seja, não é nem um pouco aconselhável joga-lo antes de terminar a anterior. Outra recomendação é  jogar na mesma plataforma, pois o sistema procura os dados do save das escolhas realizadas, incluindo as do DLC 400 days – que inclusive não tem nenhuma ligação até o momento com a história de Clementine.

A jogabilidade segue praticamente inalterada, porém é impressionante como mesmo sendo um simples sistema baseado em interações com elementos nos cenários as cenas conseguem ser dinâmicas e transmitir tensão. As escolhas continuam mantendo as características de não influenciar drasticamente o fluxo da história, afetando somente certos diálogos e micro acontecimentos, até gerando reflexos no futuro, mas nada efetivamente importante. Mesmo assim o modo que os acontecimentos vão ocorrendo aproximam o jogador da história e da personagem como quase nenhum outro jogo consegue fazer.

TWD-Season-2-2

Mesmo sendo somente o primeiro episódio e haver a necessidade de uma reintrodução rápida do mundo e dos personagens, não há a sensação de tempo perdido, mesmo os momentos de interlúdio entre as partes são marcantes e prendem a atenção do jogador. Já nessa primeira 1h30 de jogo, já é possível reexperimentar as sequências dramáticas, chocantes e repulsivas vistas no seu antecessor.

Logo no início já é possível notar como Clementine mudou, deixando sua infância para trás e se tornando a protagonista que terá que lutar com suas próprias forças para manter-se viva, sendo esse o único caminho que lhe restou.

O término do primeiro capítulo já deixa uma grande expectativa do que está por vir, já construindo toda uma base para os próximos e grandes acontecimentos. Bem, superar o altíssimo nível da primeira temporada já é um desafio, mas pelo que foi feito até agora, acho perfeitamente possível que isso aconteça.

Compartilhe!Share on Facebook2Tweet about this on TwitterShare on Google+0
comentários
 
Deixe uma resposta »

 

Deixe uma resposta