2 comentários

Crítica: The Walking Dead Season 2 – Episode 4

by on julho 25, 2014
 

Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Depois de um episódio voltado mais para a ação, Walking Dead: Amid the Ruins, a penúltima parte da segunda temporada volta ao que a Telltale tem de melhor, o desenvolvimento dos personagens e as escolhas difíceis. Texto com SPOILERS!

Esse quarto capítulo usa de simbolismos e diálogos marcantes para evidenciar quão exaustos e desgastados os personagens estão após essa série de eventos até então decorridos. Com isso surgem frequentes e difíceis escolhas a serem tomadas. Independente da opção escolhida sempre o jogador fica em situação delicada, passando a sensação de que não há nada a fazer para aquela situação ficar “melhor”.

O principal evento é o nascimento do bebê de Rebecca, o capítulo então explora todos os problemas decorrentes dessa situação, que envolvem encontrar um lugar adequado, seguro e com suprimentos. Essa necessidade faz os personagens se dividirem em  grupos e procurar o que é necessário. Assim ajuda a individualizar a relação de Clementine com alguns personagens que até então não haviam passado de pano de fundo, como Mike e Jane.

season_2_episode_4_by_clemy_cloo-d797pbl

Jane havia aparecido muito pouco até então, mas sua presença nesse capítulo é de suma importância. Jane age como uma solitária e experiente sobrevivente que ao mesmo tempo em que ajude Clementine, a alerta sobre a necessidade de pensar somente em si em detrimento dos demais. Assim surge a dualidade de estar em um grupo e ser auxiliado por ele, ou deixa-los pra trás quando se tornam um fardo pesado demais para carregar. Essa postura de Jane é respaldada por sua história pessoal que remete também à relação de Clementine e Sarah.

Outro personagem que volta ao foco da trama é Kenny. Depois de todo o drama vivido por ele na primeira temporada o jogo continua explorando o lado humano do personagem que tem sempre que encontrar novos motivos para continuar vivendo.

O caminha para o último e derradeiro final já está preparado e parece não ser nem um pouco bom. Mas em Walking Dead quando tudo está ruim, ainda pode piorar bem mais.

Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0
comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • Calhorda Explosivo
    julho 25, 2014 at 2:47 pm

    Eu achei esse episódio 4 da segunda temporada muito fraco. Quando há morte de certos personagens, não há impacto algum. Poderia ter sido aproveitado para mostrar o desapego desses sobreviventes com a morte, mas isso nem é citado e eles se importam com as coisas às vezes sim e às vezes não. A Telltale deu mais profundidade para Mike mas ele ainda é quase um figurante de luxo. E putz, a morte de um personagem especifico é feita de um jeito tão idiota e as pessoas mal falam sobre isso depois. É ruim demais. Sem contar que as Telltale está repetindo as mesmas situações da primeira, e muito superior, primeira temporada. Só a Jane se salva, sendo um personagem complexo e profundo. Walking Dead Season 2 está sendo uma puta decepção até agora, mas quem sabe o final salva? Recomendo o Wolf Among Us, da mesma produtora, um jogo que tem um roteiro, personagens e consequências muito mais bem feitos.

    Responder

Deixe uma resposta