2 comentários

Crítica: The Walking Dead Season 2 – Episode 4

by on julho 25, 2014
 

Compartilhe!Share on Facebook

Facebook

0Tweet about this on Twitter

Twitter

Depois de um episódio voltado mais para a ação, Walking Dead: Amid the Ruins, a penúltima parte da segunda temporada volta ao que a Telltale tem de melhor, o desenvolvimento dos personagens e as escolhas difíceis. Texto com SPOILERS!

Esse quarto capítulo usa de simbolismos e diálogos marcantes para evidenciar quão exaustos e desgastados os personagens estão após essa série de eventos até então decorridos. Com isso surgem frequentes e difíceis escolhas a serem tomadas. Independente da opção escolhida sempre o jogador fica em situação delicada, passando a sensação de que não há nada a fazer para aquela situação ficar “melhor”.

O principal evento é o nascimento do bebê de Rebecca, o capítulo então explora todos os problemas decorrentes dessa situação, que envolvem encontrar um lugar adequado, seguro e com suprimentos. Essa necessidade faz os personagens se dividirem em  grupos e procurar o que é necessário. Assim ajuda a individualizar a relação de Clementine com alguns personagens que até então não haviam passado de pano de fundo, como Mike e Jane.

season_2_episode_4_by_clemy_cloo-d797pbl

Jane havia aparecido muito pouco até então, mas sua presença nesse capítulo é de suma importância. Jane age como uma solitária e experiente sobrevivente que ao mesmo tempo em que ajude Clementine, a alerta sobre a necessidade de pensar somente em si em detrimento dos demais. Assim surge a dualidade de estar em um grupo e ser auxiliado por ele, ou deixa-los pra trás quando se tornam um fardo pesado demais para carregar. Essa postura de Jane é respaldada por sua história pessoal que remete também à relação de Clementine e Sarah.

Outro personagem que volta ao foco da trama é Kenny. Depois de todo o drama vivido por ele na primeira temporada o jogo continua explorando o lado humano do personagem que tem sempre que encontrar novos motivos para continuar vivendo.

O caminha para o último e derradeiro final já está preparado e parece não ser nem um pouco bom. Mas em Walking Dead quando tudo está ruim, ainda pode piorar bem mais.

Compartilhe!Share on Facebook

Facebook

0Tweet about this on Twitter

Twitter

comentários
 
Deixe uma resposta »

 
  • Calhorda Explosivo
    julho 25, 2014 at 2:47 pm

    Eu achei esse episódio 4 da segunda temporada muito fraco. Quando há morte de certos personagens, não há impacto algum. Poderia ter sido aproveitado para mostrar o desapego desses sobreviventes com a morte, mas isso nem é citado e eles se importam com as coisas às vezes sim e às vezes não. A Telltale deu mais profundidade para Mike mas ele ainda é quase um figurante de luxo. E putz, a morte de um personagem especifico é feita de um jeito tão idiota e as pessoas mal falam sobre isso depois. É ruim demais. Sem contar que as Telltale está repetindo as mesmas situações da primeira, e muito superior, primeira temporada. Só a Jane se salva, sendo um personagem complexo e profundo. Walking Dead Season 2 está sendo uma puta decepção até agora, mas quem sabe o final salva? Recomendo o Wolf Among Us, da mesma produtora, um jogo que tem um roteiro, personagens e consequências muito mais bem feitos.

    Responder

Deixe uma resposta