1 comment

Análise – Cavaleiros do Zodíaco: Bravos Soldados (2013 – PS3)

by on novembro 25, 2013
 

Compartilhe!Share on Facebook60Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Na geração PS3/Xbox 360 fãs de anime tem visto o lançamento de vários títulos dedicados aos heróis japoneses, com resultados mistos. Algumas séries deram sorte, como JoJo, Naruto e Dragon Ball, que foram agraciados com bons jogos (em alguns casos até “muy buenos”). Mas nem todos compartilham dessa maré de bonança, como os jogos de One Piece, Hokuto no Ken e a saudosa e querida série Cavaleiros do Zodíaco, conhecida em seu país de origem como Saint Seiya.

O último título dedicado aos Cavaleiros do Zodíaco era uma porradaria em 3D beat ‘em up, espanque os soldadinhos e no final do estágio detone um chefe, exclusivo do Playstation 3. Esse tal jogo era o fraco Cavaleiros do Zodíaco: Batalha do Santuário, que tentava compensar com fan service as muitas falhas tanto no setor técnico, como na jogabilidade. Desta vez, no entanto, parece que os fãs da série criada por Masami Kurumada tem algo para se animar. Cavaleiros do Zodíaco: Bravos Soldados (Saint Seiya: Brave Soldiers), mais uma vez uma exclusividade do PS3 da Sony, é um game até que polido, com alta qualidade gráfica e com ainda mais agrados aos fãs.

sagasantuario

A melhor saga de CDZ, Saga do Santuário

O jogo se concentra nas batalhas mano a mano utilizando técnicas secretas, a expansão do cosmo, armaduras e frases clássicas. Tudo que sempre foi a pedra angular da série animada. Bravos Soldados é um jogo que ocorre durante os acontecimentos das três sagas clássicas (Santuário, Poseidon e Hades), com  quase todos os personagens marcantes que saíram da mente de Kurumada. Inclusive os 5 principais de bronze (Seiya, Hyoga, Shiryu, Shun e Ikki) tem quase todos as suas encarnações possíveis, apesar de que só Pégaso ganhou uma versão com a armadura divina/kamui. Uma ampla seleção de cavaleiros (bronze, prata, ouro e assim por diante) está presente no disco, mas a maioria deve ser desbloqueada, num modo single player não tão inspirado.

Infelizmente não há dublagem nacional no jogo, apenas as vozes japonesas, contudo todos os menus estão em português. Outro defeito é que não existem cutscenes (cenas animadas) de momentos épicos da série, o máximo da referência a momentos marcantes, como Shiryu de Dragão levando Shura de Capricórnio para o espaço, são imagens estáticas. Fraco.

sagaposeidon

A saga mais fraquinha, Poseidon

As animações dos ataques Big Bang reproduzem fielmente os golpes emblemáticos do desenho, para o deleite de todos os fãs. Esse e outros detalhes tornam Bravos Soldados um título divertido e cheio de citações dedicadas aos fãs mais ardorosos.

A jogabilidade é bem solta, dando a capacidade de mover livremente o seu personagem através das arenas 3D sem dificuldades. O botão X é associado com o salto, e se pressionado duas vezes, o personagem realiza esquivas. Com o quadrado e o triângulo fazem-se ataques normais e combos poderosos que podem ser alternadas de acordo com os comandos de cada personagem. O botão de círculo esta associado com movimentos especiais que podem ser usados em troca de uma pequena quantidade de cosmo, mesmo no meio de um combo, de modo a amplificar o dano no adversário. Para os botões superiores é atribuída a tarefa de carregar a barra do cosmo (algo remanescente dos jogos dedicados a Dragon Ball e a Naruto), ativar variantes mais potentes dos golpes dos botões frontais, defender de ataques inimigos e, finalmente, desencadear ataques devastadores e coreográficos, os Big Bang. Clicando no stick da direita, você irá ativar o Sétimo Sentido, obtendo bônus valiosos para os status do personagem, desde que tenham preenchido a barra necessária para tal. Embora os ataques mudem visualmente de combatente para combatente, os combos disponíveis para todos são muito semelhantes entre si, o que deixa o jogo não muito profundo, pois todos os personagens tem uma jogabilidade parecida.

sagahades

A mais esperada saga de todas na década de 90, Hades

Bravos Soldados tem uma dinâmica de combate bastante simples e que depende fortemente do uso do cosmo. A barra de cosmo (dividida em quatro porções distintas) está associada com a utilização de golpes mais ofensivos e todas as técnicas de defesa avançada. Isso obriga o jogador a gerir o cosmo com cuidado e, quando possível, tirar proveito das aberturas e o tempo de inatividade do adversário para recarregar sua cosmo energia. Se você não souber usar o cosmo os combates serão lentos e tediosos. No entanto, depois que você se familiarizar com os personagens, suas técnicas e o ritmo do jogo, a ação decola, deixando espaço para longos combos aéreos e outros combinações fodas. Quando a dificuldade do jogo aumenta, torna-se extremamente importante escolher o momento certo em que ativar o Sétimo Sentido. Quando você perceber que está preso num combo poderoso do inimigo, simplesmente pressione o stick direito para poder ficar fora de perigo em um instante.

O sistema de combate Bravos Soldados é adequado para o que a Namco Bandai e a Dimps estavam dispostos, dar origem a algumas lutas interessantes e fáceis de jogar. Para chacoalhar as coisas, há a opção de personalizar os cavaleiros, como foi o caso nos antigos títulos de Dragon Ball (especialmente aqueles na série Budokai).

saint-seiya-brave-soldiers-022-1

Até Jabu de Unicórnio é jogável e mostra do que é capaz … O que não é muito

Esse game é recheado de modos e definitivamente correspondeu às expectativas e pode atender praticamente todas as necessidades de um fã. Além dos modos inevitáveis, há opções onde é possível admirar os modelos poligonais dos combatentes e também há o modo de sobrevivência.  Mas o verdadeiro destaque deste jogo de luta é o multiplayer (online e offline) e a Guerra Galáctica. Na última opção citada é permitido organizar a sua própria versão do torneio que iniciou a série, escolhendo o número de participantes, o nível de dificuldade, e muitos outros parâmetros.

Cavaleiros do Zodíaco: Bravos Soldados foi feito de fãs para fãs. O número de personagens e a caracterização dos mesmos por si só já seriam suficientes para satisfazer os paladares mais exigentes. A única crítica poderia ser feita é a ausência de alguns personagens particularmente amados pela comunidade, mas com uma lista tão vasta que era impossível não deixar algum combatente de fora. Pelo menos Athena deixou de ser dondoca, botou a mão na massa e é jogável pela primeira vez na história. O sistema de combate é bom, simples e funcional, há muitos colecionáveis ​​e diversos modos de jogo. Se você está procurando um divertido jogo de luta, que não seja muito técnico, mas especialmente se você gosta de Cavaleiros do Zodíaco, não há opção melhor para seu PS3 do que Bravos Soldados, que supera em muito seu predecessor A Batalha do Santuário. Faça elevar seu cosmo nesse super jogo, e lembre-se que sua constelação sempre irá te proteger!

Nota: 4/5 (3/5 caso você não seja um fã da série)

Trailer do melhor jogo dos guerreiros de Athena

Compartilhe!Share on Facebook60Tweet about this on TwitterShare on Google+0
comentários
 
Deixe uma resposta »

 

Deixe uma resposta