1 comment

Education, Education, Education & War – Quinto e novo álbum dos Kaiser Chiefs (2014)

by on março 30, 2014
 

Compartilhe!Share on Facebook76Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Education, Education, Education & War é o quinto álbum da banda de rock inglesa Kaiser Chiefs. Este álbum marca uma nova fase da banda, pois é o primeiro com o novo baterista Vijay Mistry e é também o trabalho que inicia a fase pós-Nick Hodgson. Nick era o baterista anterior e o principal compositor da banda. Como fica a parada agora sem o sujeito mandando vê nas letras e na batera? Para Ricky Wilson, o vocalista e líder da banda a saída de Hodgson deu a banda um proposito. Segundo ele, eles estavam preguiçosos, e sem o antigo baterista, a banda conseguiu recuperar a gana de produzir e também a raiva que estava ausente nas letras. Será que isso confere mesmo ou é da boca pra fora? Vamos checar a nova obra, contudo uma curiosidade antes de embarcamos na análise. Sabia que o título do álbum saiu de uma frase de um dos discursos do primeiro ministro Tony Blair em 2005? Pois é.

O álbum é uma surpresa, e uma daquelas surpresas boas, pois não é toda banda que sobrevive ao baque de perder seu compositor principal. Esse é um dos, se não for o melhor, álbum do grupo desde que eles estrearam a dez anos atrás.  A obra possui dez canções, a maioria satirizando a sociedade britânica com letras espertas e de revolta. O disco já abre com uma porrada. “Factory Gates” começa quase feliz,  de repente  o som pesado da guitarra e com um refrão chamando o empregado para  um trabalho sem fim. Um ótima música e um ótimo começo de álbum. A melancólica “Coming Home” é uma baladinha agradável e madura, é inclusive a escolhida para o clipe de lançamento do álbum, mas acho que ela é um pouco cansativa. “Roses” é a balada que deu certo nessa obra, nada revolucionário, mas funciona devido a emoção colocada na mesma.  A energética “Cannons” é o Kaiser Chiefs liberando seu lado maluco, tendo vários momentos diferentes na mesma música, vozes a lá Monty Python, tambores militares e uma letra foda de indignação com o governo. Ela ainda emenda com um poema, “The Occupation”, magistralmente lido pelo ator Bill Nighy. É tão diferente que você vai amar ou odiar, e eu estou no primeiro grupo, considero essa a melhor das canções desse álbum. “Ruffians On Parade” e “Meanwhile Up In Heaven” (essa com influências de “Battle Without Honor or Humanity” da trilha sonora de Kill Bill) lembram o rock britânico dos anos 90, tendo uma pegada meio Blur. São músicas de festivais, músicas para dançar sem preocupação.

“My Life” dos Kaiser Chiefs não é agressiva como a “My Life” de Bon Jovi. Aqui “My Life” é algo que parece que saiu dos anos 80, é uma música mais conformada e quase calma. Quase. “One More Last Song” vem ironicamente no meio do disco e não no fim como o nome sugere. Aqui Mistry, o novo baterista, fornece a batida perfeita para Rix entrar em destaque com um solo incrível em seu baixo. Essa é uma música um pouco repetitiva nas letras, mas o instrumental dela salva.  A gargalhada maníaca de “Everyday I Love You Less And Less”, um dos carros chefes do primeiro álbum, retorna em “Misery Company. Música que mostra em sua letra um solitário deprimido, algo que entra em conflito direto com ritmo animado da mesma e a torna algo único. E sabe o que é engraçado dessa canção? É que as vozes de fundo estranhas que se escuta nessa música é a voz de um anunciante de voo que vazou para dentro da gravação. Como isso ocorreu? Vai saber. “Bow & Arrows” é, segundo o baixista Simon, sobre duas pessoas que são inúteis separadas, mas que são invencíveis juntas. Ela ainda  tem um “mantra” perfeito para festivais, prepare-se para ver o público ir a loucura gritando repetidas vezes “we the people, created equal” quando essa música tocar.

E o novo membro, Sr.Mistry? Ele encaixa com a banda? Sim, sim. Com sua entrada a banda agora esta mais equilibrada, mas os fãs da bateria vão ficar um tanto decepecionados, pois agora a batera não domina tanto as músicas como antigamente.  De qualquer modo, esse é um renascimento digno. Para quem é fã, pode ficar tranquilo que a banda esta mais forte do que nunca, e para quem não conhece é o momento certo para entrar no barco. Da confusão de perder um membro importantíssimo da banda, Kaiser Chiefs conseguiu se reerguer e encontrar sua voz novamente. E é uma voz poderosa e raivosa.

Nota: 4/5

Uma pequena mostra de cada música que há nesse incrível álbum

Compartilhe!Share on Facebook76Tweet about this on TwitterShare on Google+0
comentários
 
Deixe uma resposta »

 

Deixe uma resposta