0 comentários

Por que Hamilton é o melhor musical, até mesmo para quem odeia musicais, dos últimos tempos?

by on junho 3, 2016
 

Compartilhe!Share on Facebook255Tweet about this on TwitterShare on Google+0

1776, imagine os Estados Unidos da América antes de ser os EUA. Antes da Independência, os EUA eram formados por treze colônias controladas pela metrópole: a poderosa Inglaterra. Dentro do contexto histórico do século XVIII, os ingleses usavam estas colônias para obter lucros e recursos minerais e vegetais não disponíveis na Europa. E taxavam os colonos sem misericórdia. Claro que essa exploração cansa, certo? O jovem Alexander Hamilton chegou em Nova York em 1776, participou da Guerra da Independência e foi posteriormente uma figura muito importante na história dessa potência. Nesse período o ego também dominava o cenário político, mas as pessoas disfarçavam um pouco melhor a ganância pessoal. Agora, imagine uma peça que trate a ganância política no período histórico da Guerra da Independência Americana como se os participantes desse “jogo” tivessem a marra, o ego e os trejeitos dos astros do hip hop. E celebrassem a tiração de onda e fossem bons de rimas. Verdadeiros gangsters. Pois é, é isso que “Hamilton – An american musical” faz, unindo a cultura do passado com a cultura do presente e fazendo a história acessível para todos em um ritmo musical moderno, o acelerado hip hop.  Essa mistura inusitada garantiu um prêmio Pultizer de Melhor Drama para o autor da obra, Lin-Manuel Miranda (interprete do protagonista desse espetáculo, o tão falado Hamilton),16 indicações para o Tony Awards de 2016 (que vai ao ar 12 de junho), o Grammy de Melhor Musical em 2015, inúmeros outros prêmios e a peça já se pagou várias vezes em tempo recorde. É o maior fenômeno da Broadway das últimas décadas.

— O que “Hamilton” faz é mostrar a todos que os líderes do país de hoje, do presidente aos ícones do hip-hop, são como os brancos que fundaram o país no século XVIII, como Alexander Hamilton, Thomas Jefferson e George Washington. Hamilton foi um filho bastardo, órfão, que deixou a ilha caribenha em que nasceu para migrar e se tornar um dos líderes da fundação do país. A trajetória dele é como a dos ícones do rap. – Lin-Manuel Miranda, autor da peça e interprete de Alexander Hamilton.

 

Mas quem diabos era Alexander Hamilton?

Alexander Hamilton, nasceu em 11 de janeiro de 1757, em Nevis, uma das ilhas do Caribe. Hamilton é um órfão, bastardo, abandonado pelo pai, autodidata, militar (lutou contra a Inglaterra pela independência dos EUA), advogado e um dos pais da fundação dos Estados Unidos. Um dos primeiros imigrantes sem ser da Inglaterra, Hamilton, foi o primeiro Secretário do Tesouro dos Estados Unidos da América. Estabeleceu o “First Bank of the United States” e teve influência no desenvolvimento das bases do capitalismo corporativista americano.  Sem contar que o pensador escreveu 51 dos 85 “The Federalist Papers” (os demais, foram escritos por John Jay e James Madison). E ainda foi um dos fundadores do então Partido Federalista, que centrava a nação Americana na força da União. É mole ou quer mais? Bem, tem mais.

Alexander Hamilton morreu em 1804, aos 49 anos, num duelo com o então vice-presidente Aaron Burr, seu companheiro de guerra, de advocacia e rival político, pois Burr acusava Hamilton de ter manchado sua campanha presidencial (Burr terminou em segundo lugar, e por isso se tornou vice, prática que foi extinta por Thomas Jefferson). Hamilton morreu em desgraça, acusado de conspiração contra a nação norte-americana, por ter criado um banco central que teoricamente manipularia de forma “negativa” a economia do país. Posteriormente sua esposa, Elizabeth “Eliza” Schuyler Hamilton, limparia seu nome ao longo dos 50 anos que viveu a mais que o marido, mas apenas recentemente Hamilton começou a ter reconhecimento por todo crédito que ele possibilitou os EUA terem com seu sistema econômico. Ele personifica o sonho americano do imigrante que faz seu destino com as próprias mãos, saindo do nada até o topo.

 

E a peça “Hamilton – An american musical”?

É um espetáculo único na Broadway, que aliás começou Off-Broadway, entretanto conquistou seu espaço no olimpo das apresentações principais pelo seu tema que fala da formação de uma nação, da importância dos imigrantes e da luta por um sonho. Ou seja, mesmo sendo um tema clássico, ela conversa com o público atual, pois o assunto de imigrantes nunca foi tão urgente, com a xenofobia em alta contra refugiados e o preconceito contra o que é diferente em voga.  Pensando nisso, o espetáculo compõe seu elenco principalmente com negros e latinos, mostrando diversidade numa peça que normalmente só teria brancos em sua escalação. E para completar, Hamilton não utiliza de arranjos clássicos, e sim de hip hop como base para sua trilha, algo que conversa com um público mais novo e surpreende os mais velhos. É um musical que ensina história americana de maneira fácil, tomando poucas liberdades, como Angelica Schuyler ter uma fascinação por seu cunhado, Alexander Hamilton, e unindo diversas gerações em um amor renovado pelos musicais.

— No meio dessa destruição, Alexander Hamilton escreveu um poema que atravessou as fronteiras da ilha. Quiseram saber quem era aquele garoto e ofereceram uma bolsa de estudos para ele. Ou seja, foi salvo pelo talento literário, e literalmente escreveu seu próprio caminho. É como Jay-Z escrevendo sobre a vida no conjunto habitacional em que vivia na esperança de sair de lá. Ou Eminem escrevendo sobre Detroit e as batalhas de rap que enfrentou. Hamilton era um desses, usou a literatura para chegar ao topo. – Lin-Manuel Miranda.

 

E quem é quem nesse musical? Confira os personagens principais de “Hamilton – An american musical”

Alexander Hamilton (Lin-Manuel Miranda)

hamiltons

Ator/Figura Histórica

Hamilton é um sujeito super marrento e que não leva desaforo para casa nesse musical. O cara vive acelerado, escreve e fala como se o tempo dele estivesse se esgotando rapidamente. E talvez esteja. Até porque o cabra coleciona adversários. O cara deseja deixar sua marca, nem que isso o mate. Ele tem 200% de certeza que é mais esperto do que os outros e, novamente, talvez isso realmente seja verdade. E para completar ele é um mulherengo, apesar de, do jeito dele, realmente amar sua mulher. O sujeito tem uma visão bem mais ampla do quadro completo de uma nação do que seus companheiros e adversários, e fará o possível, e o impossível, para deixar um legado digno, principalmente na área econômica, sua especialidade.

 

Aaron Burr (Leslie Odom Jr.)

aaronburrs

E do outro lado da moeda de Alexander Hamilton, temos outro órfão, o rico Aaron Burr. Seu primeiro amigo/inimigo nos EUA. O extremo oposto de Hamilton, um cara reservado, calmo e que não expressa o que realmente acredita ou pensa, nem que sua vida esteja em jogo. Seu lema? “Talk less, smile more” (fale menos, sorria mais), ou seja, um típico político. Não é por menos que ele tem a pretensão de ser presidente. O cara tem uma grande inveja de Hamilton pois Alex se fez do nada e Burr tem que se preocupar o tempo todo em manter o legado de seus pais. O que esses dois tem em comum? Grandes ambições, inteligência e fazerem de tudo por um rabo de saia.

 

George Washington (Christopher Jackson)

washingtons

E quem coloca os dois idiotas superespertos já citados em seus devidos lugares? Apenas o grande George Washington. O cara é o venerado veterano da Virginia, que só desce o verbo e o verso quando está nervoso. Um cabra macho que tenta vencer a guerra mesmo quando o Congresso não cede nada para ele. Para comandar com sucesso a Revolta das Treze Colônias contra o Rei Jorge III da Grã-Bretanha ele precisa de um braço direito em combate, pois convenhamos, Washington não pode estar em todo lugar. E quem ele escolhe para esse nobre trabalho? Hamilton claro, pena que Burr praticamente mataria por essa posição. Será que isso alimentará ainda mais o ódio de Aaron contra Alex? Só o tempo dirá.

Falando em tempo, o tempo todo George Washington tenta ensinar Hamilton a levar a vida de forma mais serena, pena que Alexander é obcecado em deixar um legado acima de tudo. A mensagem final do primeiro presidente dos Estados Unidos? Você não tem controle de quem vive, quem morre e quem conta sua história.

 

Eliza Schuyler (Phillipa Soo)

elizas

Elizabeth Schuyler é um doce de pessoa, que se apaixona que nem uma adolescente assim que dá de cara com Alexander Hamilton. A primeira intenção de Hamilton em se casar com ela era subir sua posição social, já que casar com uma “Schuyler Sister” (o sujeito estava até mirando em Angelica e não em Eliza) é garantia de grana e bonança. No entanto ele realmente fica encantado com Eliza, apesar de ter uma queda por Angelica, e os dois são felizes juntos. Até Hamilton estragar tudo com um caso com Maria Reynolds. Elizabeth não deixa nada barato para o esposo, no entanto a morte do primogênito do casal acaba os unindo novamente. Juntos eles têm oito filhos, apesar que na peça apenas o pobre Philip é citado. A responsável em manter o legado de Hamilton vivo é Eliza, que organizou as escritas, papeis e rascunhos do marido após a morte do mesmo. Sem contar que ela fez o primeiro orfanato dos EUA em honra do marido. Isso que é dedicação.

Thomas Jefferson (Daveed Diggs)

jeffersons

Apesar de Aaron Burr ser um empecilho constante na vida de Hamilton, seu grande adversário político era Thomas Jefferson. Sim, aquele, o famoso, que mais tarde seria o terceiro presidente dos Estado Unidos e quem redigiu a Declaração de Independência dos Estados Unidos da América. Sem contar que foi um dos grandes defensores históricos de que menos governo é a melhor forma de governo. Durante a guerra pela independência o sujeito estava todo tranquilo na França e depois que a coisa ficou sossegada nos EUA, o cara volta para ser o Secretário do Estado e o principal opositor do sistema econômico proposto por Hamilton. Seus principais hobbies (lembrando que isso é uma adaptação, com algumas liberdades) é ser cheio de marra, traíra e relaxar na Virginia sendo mimado por seus escravos (bem, isso é verdade). Ele realmente odeia o posicionamento antiescravagista e as roupas cafonas de Hamilton e vai fazer de tudo para melar a carreira política de sucesso do favorito de George Washington.

— Eles têm a cara dos Estados Unidos de hoje, que são um país mais diverso, com mudanças de cores, um país em transformação. Essa conexão entre o presente e os fundadores do país guiou tudo. É a essência da história do hip-hop unida à essência da história americana. Histórias de aventura, superação de adversidades e desafios. – Lin-Manuel Miranda.

 

E quem é pai da obra? Quem é o autor dessa peça?

Lin-Manuel Miranda é um porto-riquenho, ator, diretor, compositor, escritor, rapper e mais conhecido por seus musicais. Ele já tinha feito sucesso com vencedor de quatro Tony Awards “In the Heights”, peça que celebrava os imigrantes latinos na vizinhança de Washington Heights em Nova York, onde Lin-Manuel cresceu e amadureceu. E agora impressiona o mundo com seu novo musical, “Hamilton – An american musical”. Recentemente ele foi contratado pela Disney para estrelar e compor as músicas de “O Retorno de Mary Poppins” (Mary Poppins Returns no original) onde interpretará Jack e Emily Blunt fará a lendária babá Mary Poppins. Talvez você já tenha visto esse ator fazendo pequenas participações em seriados de sucesso como House MD, How I Met Your Mother, Modern Family e até mesmo Os Sopranos, mas se acostume com o nome de Lin-Manuel Miranda… agora que ele firmou seu nome na Broadway e tem uma parceria com a Disney, o céu é o limite para esse artista de apenas 36 anos.

 

E para terminar fique com o vídeo da primeira música da peça e a letra traduzida da mesma:

 

Alexander Hamilton

[Burr]
How does a bastard, orphan, son of a whoreand a Scotsman, dropped in the middle of a Forgotten spotin the Caribbean by providenceImpoverished, in squalorGrow up to be a hero and a scholar?

 

[Laurens]

The ten-dollar founding father without a father

Got a lot farther by working a lot harderBy being a lot smarter

By being a self-starter

By fourteen, they placed him in charge of a

Trading charter

 

[Jefferson]

And every day while slaves

were being slaughtered and carted

Away across the waves

he struggled and kept his guard up

Inside, he was longing for something to be a part of

The brother was ready

to beg, steal, borrow, or barter

 

[Madison]

Then a hurricane came, and devastation reigned

Our man saw his future drip, dripping down the drain

Put a pencil to his temple, connected it to his brain

And he wrote his first refrain, a testament to his pain

 

[Burr]

Well, the word got around, they said

This kid is insane, man

Took up a collection just to send him to the mainland

Get your education, don’t forget from whence you came

And

The world is gonna know your name

what’s your name, man?

 

 

[Hamilton]

Alexander Hamilton

My name is Alexander Hamilton

And there’s a million things I haven’t done

But just you wait, just you wait

 

[Eliza]

When he was ten his father split, full of

it, debt-ridden

Two years later, see Alex and his mother bed-ridden

Half-dead sittin in their own sick

the scent thick

 

[Company]

And Alex got better but his mother went quick

 

 

[Washington]

Moved in with a cousin, the cousin committed suicide

Left him with nothin’ but ruined pride, something

new inside

A voice saying

 

[Washington]

“You gotta fend for yourself”

[Company]

“Alex, you gotta fend for yourself.

[Washington]

He started retreatin’ and readin’ every treatise on the

shelf

 

[Burr]

There would have been nothin’ left to do

For someone less astute

He woulda been dead or destitute

Without a cent of restitution

Started workin’, clerkin for his late

mother’s landlord

Trading sugar cane and rum and all the things he

can’t afford

Scamming for every book he can get his hands on

Planning for the future see him now as he

stands on

The bow of a ship headed for a new land

In New York you can be a new man

 

 

 

[Company]

In New York you can

Be a new man

In New York you can

Be a new man

 

[Hamilton]

Just you wait!

 

Just you wait!

 

[Company]

In New York you can be a new man?

 

[Women]

In New York

 

[Men]

New York

 

[Hamilton]

Just you wait!

 

[Company]

Alexander Hamilton

We are waiting in the wings for you

You could never back down

You never learned to take your time!

 

Oh, Alexander Hamilton

 

When America sings for you

Will they know what you overcame?

Will they know you rewrote the game?

The world will never be the same, oh

 

[Burr]

The ship is in the harbor now

See if you can spot him

 

Another immigrant

Comin up from the bottom

 

His enemies destroyed his rep

America forgot him

 

[Company]

Alexander Hamilton

Waiting in the wings for you

You never learned to take your time!

 

Oh, Alexander Hamilton

Alexander Hamilton

When America sings for you

Will they know what you overcame?

Will they know you rewrote the game?

The world will never be the same, oh

 

[Men]

Just you wait

 

[Company]

Just you wait

 

[Mulligan Madison & Lafayette Jefferson]

We fought with him

 

[Laurens Philip]

Me? I died for him

 

[Washington]

Me? I trusted him

 

[Eliza & Angelica & Maria]

Me? I loved him

 

[Burr]

And me? I’m the damn fool that shot him

 

[Company]

there’s a million things I haven’t done

But just you wait!

 

[Burr]

What’s your name, man?

 

[Company]

Alexander Hamilton!

 

 

 

[Burr]

Como um bastardo, órfão, filho de uma prostituta e um escocês, largado no meio de um lugar esquecido no Caribe destinado a ser

um pobretão, na miséria

Cresceu para ser um herói e um estudioso?

 

[Laurens]

O Pai Fundador da nota de dez dólares sem um pai

Chegou bem longe por trabalhar bem mais duro

Por ser mais inteligente

Por ser um autodidata

Com catorze anos, o botaram no comando de uma empresa de contabilidade

 

[Jefferson]

E todos os dias enquanto escravos

estavam sendo massacrados e transportados

Para longe através das ondas

ele lutou e manteve sua guarda alta

Por dentro, ele estava desejando ser parte de algo

O irmão estava pronto

para implorar, roubar, emprestar ou negociar

 

[Madison]

E então um furacão veio, e a devastação reinou

Nosso homem viu seu futuro escorrer, escorrer pelo ralo

Pôs um lápis na têmpora, o conectou ao seu cérebro

E escreveu seu primeiro refrão, um testamento à sua dor

 

[Burr]

Bem, o mundo deu voltas, eles disseram

“Esse garoto é maluco, cara”

Fizeram uma vaquinha para mandá-lo para o continente

Eduque-se, e não se esqueça de onde você veio

e

O mundo saberá o seu nome

Qual o seu nome, cara?

 

[Hamilton]

Alexander Hamilton

Meu nome é Alexander Hamilton

E tem um milhão de coisas que eu não fiz

Mas apenas espere, apenas espere

 

[Eliza]

Quando ele tinha dez anos seu pai caiu fora, de saco cheio, cheio de dívidas

Dois anos depois, vejam Alex e sua mãe acamados

Quase mortos sentados em sua própria doença

o cheiro forte

 

[Companhia]

E Alex melhorou, mas sua mãe se foi rapidamente

 

[Washington]

Foi morar com um primo, o primo cometeu suicídio

O deixou com nada além de orgulho arruinado, algo

novo por dentro

Uma voz dizendo

 

 

[Washington]

“Você tem que se virar por conta própria”

[Companhia]

“Alex, você tem que se virar por conta própria”

[Washington]

Ele ficou arredio e ler todos os tratados na

Prateleira

 

[Burr]

Não teria sobrado nada para fazer

Para alguém menos astuto

Ele teria acabado morto ou desamparado

Sem um centavo de restituição

Começou a trabalhar, sendo escrivão do senhorio de sua

falecida mãe

Vendendo açúcar, cana e rum e todas as coisas que ele

não pode pagar

Barganhando por cada livro em que consegue por as mãos

Planejando para que o futuro o veja agora enquanto ele

se põe de pé

Na proa de um navio dirigido à nova terra

Em Nova York você pode ser um novo homem

 

 

[Companhia]

Em Nova York você pode

Ser um novo homem

Em Nova York você pode

Ser um novo homem

 

[Hamilton]

Apenas espere!

 

Apenas espere!

 

[Companhia]

Em Nova York você pode ser um novo homem

 

[Mulheres]

Em Nova York

 

[Homens]

Nova York

 

[Hamilton]

Apenas espere!

 

[Companhia]

Alexander Hamilton

Estamos esperando nos bastidores por você

Você nunca poderia desistir

Você nunca aprendeu a não ter pressa

 

Oh, Alexander Hamilton

 

Quando a América cantar pra você

Eles saberão o que você superou?

Eles saberão que você reescreveu o jogo?

O mundo jamais será o mesmo, oh

 

[Burr]

O navio está no porto agora

Veja se consegue achá-lo

 

Outro imigrante

Vindo do fundo do poço

 

Seus inimigos destruíram sua reputação

A América o esqueceu

 

[Companhia]

Alexander Hamilton

Esperamos nos bastidores por você

Você nunca aprendeu a não ter pressa

 

Oh, Alexander Hamilton

Alexander Hamilton

Quando a América cantar pra você

Eles saberão o que você superou?

Eles saberão que você reescreveu o jogo?

O mundo jamais será o mesmo, oh

 

[Homens]

Apenas espere

 

[Companhia]

Apenas espere

 

[Mulligan Madison E Lafayette Jefferson]

Nós lutamos com ele

 

[Laurens Philip]

Eu? Eu morri por ele

 

[Washington]

Eu? Eu confiava nele

 

[Eliza/Angelica/Maria]

Eu? Eu o amava

 

[Burr]

E eu? Eu sou o maldito tolo que atirou nele

 

[Companhia]

Tem um milhão de coisas que eu não fiz

Mas apenas espere!

 

[Burr]

Qual o seu nome, cara?

 

[Companhia]

Alexander Hamilton!

 

Compartilhe!Share on Facebook255Tweet about this on TwitterShare on Google+0