9 comentários

Crítica – Como Treinar o Seu Dragão 2 (2014)

by on junho 24, 2014
 

Compartilhe!Share on Facebook168Tweet about this on TwitterShare on Google+0

“Como Treinar o Seu Dragão 2” alça voo para ser a melhor animação de 2014

“Como Treinar o Seu Dragão” foi um marco para a Dreamworks. Mostrou que o estúdio tinha capacidade de fazer produções do mesmo nível da Pixar e até mesmo superar esse famoso estúdio ganhador de vários Oscars em alguns momentos. A continuação de “Como Treinar o Seu Dragão” (How to Train Your Dragon 2 no original) desafia as convenções de ser mais do mesmo, síndrome de muitas sequências, sejam elas desenhos ou não, e ainda por cima continua desafiando o público tomando decisões bombásticas que irão surpreender o espectador, ainda mais os mais novos.  Ah, uma dica, é realmente bom ter visto o primeiro filme dessa saga, além dele ser um ótimo e divertido filme, alguns fatos comentados nesse texto não terão o mesmo impacto para quem não viu o começo da franquia.

Essa nova aventura se passa cinco anos depois do filme original. Soluço não é seu protagonista tradicional.  Para começar ele é um amputado, fato que ocorreu no final do primeiro longa, e o jovem não deixa isso o desanimar. Pelo contrário, um inventor nato, o garoto criou uma perna metálica para si e um pedaço de cauda postiça para seu dragão, já que Banguela, um raro dragão do tipo “Fúria da Noite” e seu companheiro inseparável, também perdeu uma parte importante do seu corpo, mas também não deixa de ser o melhor dragão que qualquer um poderia querer ter. O jovem conseguiu a proeza de tornar sua vila Viking, Berk, de um lugar que caça dragões para um que treina os repteis alados. Graças aos feitos do filho, o pai de Soluço, Stoico, o imenso, quer tornar logo seu garoto no líder da vila, mas o jovem ainda esta na fase da dúvida, querendo conhecer mais a si mesmo e não querendo seguir os passos do pai. Ele e seu dragão Banguela vivem explorando novas ilhas e criando um mapa gigante do mundo, que há não muito tempo atrás, para eles, era só a pequena ilha onde fica a vila Berk. Contudo numa dessas expedições a dupla tem um encontro inesperado com caçadores de dragões. Esses caçadores seguem o cruel Drago Sanguebravo, um homem que deseja controlar todos os dragões e subjugar todos os que não o obedecem. Para impedir a empreitada de Drago, Soluço contará com a ajuda de sua fiel e corajosa namorada Astrid, seus atrapalhados amigos e até mesmo uma pessoa de seu passado, de quem herdou sua eterna necessidade por conhecer mais sobre os dragões e nem sabia.

“Como Treinar o Seu Dragão 2” é um filme dez vezes mais corajoso do que “Valente” da Pixar, mais divertido do que “Frozen” da Disney e supera até mesmo o “Como Treinar o Seu Dragão” original. Ou seja, essa animação é melhor do que outros excelentes filmes, você pode ver que a Dreamworks tem aprendido a lição ao longo dos anos.  O longa expande bastante o universo baseado nos livros de Cressida Cowell. Vale só deixar claro que muitas coisas não seguem bem as páginas escritas pela autora, mas o espírito é o mesmo. Os visuais dos dragões são espetaculares, as criaturas tem uma diversidade imensa, tendo traços e habilidades diferentes, indo do tradicional cuspidores de fogo até aqueles que expelem gás ou possuem baforadas de gelo. Aliás, o gigantesco dragão que cospe gelo, alpha de seu grupo por sinal, é algo que parece ter saído de um livro de H.P. Lovecraft, mostrando que a criatividade dos criadores dessa produção pegam inspirações de várias fontes. O filme equilibra bem a ação, a comédia e até mesmo o romance. É perfeitamente focado para jovens adolescentes, mas possui elementos que irão agradar e desafiar crianças e até mesmo os adultos. É uma obra que trata sobre perdão, preconceitos e perdas, mesmo sendo um mundo fantasioso, as lições que esse filme quer passar são importantes para qualquer um, ainda mais os mais novos.

Essa é uma produção que emociona, algo carregado de sentimentos e não feito apenas pelo lado comercial.  Se há algo para reclamar dessa animação de computação gráfica é que algumas passagens são aceleradas demais e não deixa o impacto de cenas anteriores serem exploradas o suficiente, ainda mais no ato final do filme. Contudo, é apenas um problema pequeno em uma produção com tantos acertos. O diretor Dean DeBlois só aceitou voltar para a franquia caso o estúdio permitisse tornar a saga em uma trilogia. Vendo como ele soube aprimorar o universo de Soluço e Banguela, pode saber que “Como Treinar o Seu Dragão 3” é mais do que bem vindo e esperado. Empolgante, emocionante e belamente animado. “Como Treinar o Seu Dragão 2” é tudo que uma sequência deveria ser. 102 minutos de pura diversão. Recomendadíssimo seja para pais ou filhos.

Nota: 5 Stars (5 / 5)

Curte o mundo “Como Treinar o Seu Dragão” ou ficou curioso com o mesmo?  Não deixe de conferir nossa matéria “Você Sabia? – Edição Cinema 04 – Especial Como Treinar o Seu Dragão”, são várias curiosidades sobre o primeiro filme que deixarão por dentro dos bastidores dessa produção. 

Trailer dessa ótima produção da  DreamWorks Animation 

 

Compartilhe!Share on Facebook168Tweet about this on TwitterShare on Google+0
comentários
 
Deixe uma resposta »

 

Deixe uma resposta