2 comentários

Os 20 jogos mais aguardados de 2014

by on fevereiro 20, 2014
 

Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Depois das 4 partes lançadas separadamente com os jogos mais aguardados de 2014, resolvi fazer essa postagem com todos eles reunidos. Revisei os textos e acrescentei algumas informações que saíram nesse meio tempo. E lembre-se os títulos são apenas alguns dos excelentes jogos que devem sair nesse ano, se não encontrou o seu mais esperado poste nos comentário o porque ele deveria estar aqui e não fique puto da vida com isso 😀

Destiny

Em desenvolvimento pela Bungie (responsável pela trilogia Halo), desde 2007, é aguardado como um dos grandes títulos dessa geração. Dessa vez além do console da Microsoft, Destiny também estará disponível para PS4 (com DLC exclusivo temporariamente). O jogador irá desbravar um mundo aberto pós apocalíptico, com grande foco na exploração de planetas com possibilidade realizar o modo campanha em coop online. Tudo isso agregado a um amplo sistema de customização de armas e características dos personagens, e claro atirar em bizarros extraterrestres. Destiny promete introduzir e expandir elementos no gênero FPS.

Plataforma: PS3, PS4, Xbox 360 e Xbox One

Super Smash Bros

A franquia que nasceu no N64 e junta os personagens da Nintendo e alguns convidados, como Mega Man e Sonic, para se espancarem em batalhas diferentes dos fighting games tradicionais chega ao Wii U e 3DS esse ano. Super Smash Bros é desenvolvido pela Nintendo em parceria com a Namco Bandai retorna depois de um bom tempo de descanso e procura introduzir novos elementos e gráficos em HD na franquia. A maioria dos personagens que estiveram presentes nos jogos anteriores já está confirmada, com a adição de novos e estranhos integrantes como a personagem do Wii Fit…

Plataforma: Wii U, 3DS

Final Fantasy XV

Final Fantasy e Dragon Quest são as séries que personificaram o gênero JRPG, porém a franquia FF ao longo dos últimos anos tem apresentado jogos que não representam nem de longe a qualidade que série teve em seus áureos anos. FFXV já começou com uma crise de identidade, inicialmente chamado de FFXIII versus, o jogo apareceu pela primeira vez em um vídeo em 2006 e ficou desaparecido até ressurgir na E3 desse ano.  Durante esse tempo muitos consideram que havia sido cancelado. Nesse último vídeo nota-se que o estilo de jogo será mais próximo de um Kingdom Hearts (action RPG) do que do estilo tradicional em turnos. Personagens andrógenos tornaram-se padrão, então não espere nada diferente nesse título, que inclusive não parece carregar traços medievais comuns em outros jogos da série. Com gráficos caprichados e movimentação fluida, acho que vale a pena apostar em FF mais uma vez, vamos esperar que a Square Enix dessa vez.

Plataforma: PS4, Xbox One

Dark Souls 2

Mesmo sendo exclusivo da antiga geração, Dark Souls 2 é com certeza um dos destaques de 2014. O título parece não ter grandes modificações em relação ao seu antecessor, na verdade o próprio criador defendeu manter inalterados fatores como movimentação e sistemas básicos, apenas inserindo alguns elementos e refinando outros.  Houve cogitações sobre uma diminuição no nível de dificuldade, pois os anteriores são jogos realmente fora dos padrões atuais, pois exigem certo nível de perseverança e aprendizado, que além de dominar a técnica deve também estar atento a outros elementos, como fraquezas, status de armas e etc – nesses aspectos a From Software comprometeu-se em tornar o sistema mais fácil de compreender. Então se prepare para continuar morrendo centenas de vezes até ter sucesso, em sua jornada em um mundo com o dobro do tamanho do seu antecessor.

Plataforma: PS3, Xbox 360 (é possivelmente para PC no futuro)

Metal Gear Solid 5: Ground Zeroes

Os próximos jogos da série Metal Gear estão chegando, e pelos vídeos vão estabelecer uma qualidade gráfica sem igual. Há pouco tempo a Konami confirmou que o quinto jogo será composto por dois jogos, com os respectivos títulos subtítulos:  Ground Zeroes e The Phantom Pain. Metal Gear V ira combinar o já famoso stealth com a imensidão do mundo aberto (sand box), e terá a influência das mudanças dia/noite. A trama mostrará os eventos posteriores ao jogo Peace Walker (lançado para PSP), tendo Big Boss como o personagem principal. O jogo voltará a sair para um console de Microsoft, que não recebeu nenhum dos títulos principais desde Metal Gear Solid 2 para Xbox. E a pouco tempo falaram que Ground Zeroes pode ser terminado em apenas 2 horas para a história principal – ou seja espere por um pacote Goty para joga-lo…. maldita Konami mercenária. Já Phantom Pain somente em 2015 (com sorte).

Plataforma: PS3, PS4, Xbox 360 e Xbox One

TitanFall

Uma das surpresas da Microsoft da E3 de 2013, esse FPS agrega na fórmula de Modern Warfare 2 os famosos robôs gigantes (Mechs). Pelo gameplay fica evidente a semelhança com os jogos franquia CoDMW – isso porque o estúdio desenvolvedor é o mesmo, a Respawn. O jogo visa estabelecer um equilíbrio na utilização dos Mechs e suas vantagens e desvantagens na utilização, assim como as interações com ele, ou seja, ter controle de um não torna o jogador invencível, podendo inclusive ser derrubado por soldados a pé que utilizem uma estratégia específica pra isso.  Até é possível ver outras características futurísticas, mas nada muito exagerado, trazendo mesmo pequenas adições que renovam um pouco o gênero. Pelo jeito os FPS que dominaram a geração passada, vão continuar com espaço garantido nessa. Um fato interessante que o primeiro jogo nem saiu e já confirmaram o segundo, esse inclusive irá sair também para Playstation 4, ou seja, pode esperar por um novo TitanFall por ano.

Plataforma: Xbox One, Xbox 360 e PC

The Witcher 3: Wikd Hunt

The Wicher 3: Wild Hunt é a conclusão da saga que teve início em The Wicher, e dessa vez também presente no console da Sony, além de Xbox One e PC. O sistema continua como um RGP de ação, desenvolvido pela Projekt RED. Esse terceiro capítulo terá um mundo aberto ainda maior do que nos seus antecessores – e quando digo maior, os desenvolvedores prometem algo em torno de trinta vezes maior. Com um espaço tão grande para explorar e recheada com uma grande quantidade de espécies de monstros, o jogador terá a sua disposição fast travels e montaria. Será que Wicher 3, irá superar Skyrim? Bem em tempo de duração talvez, pois a projekt CD estipula algo em torno de cem horas para finalizar o modo história e todas as quests.

Plataforma:  Xbox One, Playstation 4 e PC

Tom Clancy’s The Division

Provavelmente a maior surpresa da E3 desse ano, Tom Clancy’s The Division impressionou pelos seus gráficos, provavelmente os mais bonitos até o momento. O jogo será um MMO de tiro em terceira pessoa com elementos de RPG. Pelos vídeos o jogo parece trazer um sistema funcional e elaborado de combate, tudo isso inserido em um mundo aberto para ser explorado. A trama se passa em uma Chicago pós apocalítica, que foi destruída em decorrência do aparecimento de uma doença desconhecida – cabendo ao jogador sobreviver no que resta desse lugar inóspito. Pelas informações liberadas os principais desafios serão combater simultaneamente inteligências artificiais e outros jogadores na desolada área urbana.

Plataforma:  Xbox One, Playstation 4 e PC

Deep Down

Um dos primeiros jogos mostrados para PS4, Deep Down e um título que parecia seguir o estilo Dark Souls, mas a cada nova informação liberada mas “estranho” parece ficar. Primeiramente o fato de ser um jogo “free to play” (espere por milhares de DLCs), algo não necessariamente ruim, mas nunca antes feito pela sua produtora a Capcom. Em segundo entra a sua trama, que se passa em Nova York no ano de 2094, pela temática medieval dos vídeos tudo leva a crer que deve ser algo parecido com a memória de DNA em Assassin’s Creed. E por fim o fator de aleatoriedade que ira gerar cenários, itens e outros elementos – tudo isso poderá ser usufruído por quatro jogadores simultâneos, porém ainda não se sabe se será ou não exclusivamente online. Por enquanto o título ainda é tratado como exclusivo de PS4, mas não há nenhuma obrigação que o impeça de ser lançado também para Xbox One e PC.

Plataforma: Playstation 4

Halo 5

Pouca coisa se sabe sobre a continuação da mais famosa franquia da Microsoft, apenas um breve vídeo sem gameplay foi mostrado. Mas pela trajetória da série até o momento é fácil garantir por um online robusto e alta qualidade nas mecânicas de tiro e movimentação. Depois que Halo 4 conseguiu superar toda a insegurança pela saída da Bungie, que foi substituída pelo 343 studios – porém agora o desafio é trazer a série com toda sua grandiosidade para essa nova geração. Mais detalhes devem sair nos próximos meses, mas há pouco o dublador do Master Chief disse que o título só sairá em 2015, apesar da Microsoft ainda não ter se pronunciado. Halo sempre é um marco para o Xbox e o mercado de games, e dessa vez provavelmente não será diferente.

Plataforma: Xbox One

Watch Dogs

Watch Dogs foi o primeiro jogo que mostrou o que seria a nova geração, exibido ao público pela primeira vez durante a E3 de 2012,  impressionava por sua qualidade gráfica, estando um patamar acima de tudo que havia no momento. Planejado para compor a lista de lançamentos da geração PS4 e Xone, Watch Dogs acabou adiado para 2014, segundo a sua desenvolvedora, a Ubisoft Montreal, esse tempo foi necessário para entregar o jogo o mais polido possível. Watch Dogs parece trazer a evolução dos jogos de mundo aberto, além dos elementos de ação no estilo stealth e parkour, o jogo se destaca pela possibilidade de hackear sistemas eletrônicos do ambiente, criando situações como: alterar semáforos de trânsito, causar blackouts, roubar informações privadas, controlar rotas de trens e etc. Tem grande chance de tornar-se uma das grandes franquias nos próximos anos.

Plataforma: Xbox 360, Xbox One, Playstation 4,Playstation3, Wii U e PC.

Mario Kart 8

O mais famoso personagens dos games retorna mais uma vez para trás do volante em Mario Kart 8. A fórmula continua a mesma, combinando os personagens do universo Mario e o gênero de corrida com poderes e truques sujos para vencer seus adversários – espécie essa criada pela Nintendo no primeiro Mario Kart no Snes. Várias outras desenvolvedoras já tentaram replicar a fórmula (Crash Bandicoot Kart, Little Big Planet Kart, Sonic Kart e etc), mas nenhuma delas conseguiu algo tão marcante como o original. Além de todos os fatores já conhecidos – muitos itens, carros customizáveis, grande lista de personagens – a novidade fica com os circuitos anti-gravitacionais, lembrando a temática do Mario Galaxy.

Plataforma: Wii U

Dragon Age Inquisition

Dragon Age: Inquisition chega em 2014 com a expectativa de ser o maior da franquia, e agregar pontos positivos dos jogos anteriores, Dragon Age: Origins e Dragon Age II. Desenvolvido pela BioWare e publicado pela EA, o jogo segue o gênero de ação com elementos de RPG. Rival de Wicher 3, ambos possuem alguns elementos em comum, como um amplo mundo aberto (de 3 a 4 vezes maior que o primeiro jogo da série) repleto de criaturas míticas, com diversas e detalhadas áreas à serem exploradas. Em Inquisitou também foi confirmado o retorno de várias raças, entre elas: humana, elfa, anão e etc. O combate que foi um ponto bastante criticado nos anteriores, que visava mais a ação frenética no lugar de uma estratégia mais elaborada será revista, exigindo do jogador melhor planejamento em formar um time equilibrado e diversificado para conseguir superar seus inimigos. A história irá segui o caminho dos anteriores, só que com uma temática mais madura e relacionada com as escolhas realizadas pelo jogador durante sua jornada.

Plataforma: Xbox 360, Xbox One, Playstation 4,Playstation3, Wii U e PC.

South Park: The Stick of Truth

Depois de alguns jogos dispensáveis ao longo dos anos, a série animada South Park reaparece em 2014, para alegria dos fãs dos personagens mais desbocados de todos os tempos, e dessa vez com um título com potencial. Em South Park: The Stick of Truth o jogador irá criar um avatar que será o the new kid na trama, que se unirá aos demais personagens em uma jornada “medieval” no estilo clássico de RPG’s em turnos. O jogo foi desenvolvido pela Obsidian Entertainment, e publicado pela Ubisoft. O roteiro fica a cargo da mesma equipe do desenho, ou seja, garante o humor exagerado que os fãs adoram. Acho especialmente válido esse jogo por ressuscitar o estilo RPG nos console, que ficou restrito nessa última geração a jogos japoneses com personagens em estilo anime e grande parte lançado só para Playstation 3. Só espero que o grande atraso que o jogo teve não prejudique em nada o produto final.

Plataforma: Xbox 360, Playstation 3, PC

No Man’s Sky

A única surpresa nessa última VGX, foi No Man’s Sky – jogo de ficção cientifica produzido pela produtora indie Hello Games. Segundo os desenvolvedores, os jogadores encontraram elementos de diversos jogos em No Man’s Sky, como Dark Souls, Minecreft e Journey, entretanto em essência ele não é nenhum deles, sendo algo novo. O diferencial pelo que foi mostrado até agora fica pela incrível possibilidade de exploração do sistema solar – cada estrela vista no céu poderá ser visitada, e ao mesmo tempo cada detalhe em um planeta também. Outro ponto interessante é rede de influências gerada por cada jogador, que exercerá  mudanças nos demais sistemas do jogo como um todo, em uma grande rede de eventos interrelacionados – tudo isso agregado a situações randômicas que acontecem em ciclos às vezes imprevisíveis do universo. O começo da aventura acontece em um ponto do sistema solar, e sua missão é chegar até o centro – sendo que a cada novo jogo, o personagem começará em um lugar diferente, gerando um caminho completamente novo. Para explorar essa vasta galáxia, um dos principais focos é o melhoramento da nave, que dependerá de recursos encontrados nos planetas que contribuirão de formas diferenciadas em razão dos elementos utilizados.

Plataforma: ainda não divulgadas.

Infamous: Second Son

Depois da sua estreia na geração passada, a série InFamous retorna no PS4. Tendo como princípio a mesma premissa o controle de um ser superpoderoso, mas dessa vez na pele de um novo protagonista: Delsin Rowe, que possuirá uma gama ainda maior de poderes e habilidades a sua disposição. O jogo se passa sete anos após os eventos do segundo jogo, na cidade de Seatle. A Sucker Punch promete um sandbox que explore todo o potencial da nova geração, com ainda mais detalhes graficamente, que possibilitaram efeitos de fumaça, fogo e partículas impressionantes.

Plataforma: Playstation 4

Bayonetta 2

Um dos melhores hack’n’slash da geração passada, Bayonetta da Platinum Games, tem um combate com toneladas de ação frenética e cheia de estilo, típica do seu criador Hideki Kamiya, que foi responsável pelo primeiro Devil May Cry. Muitos jogadores acharam a estética demasiadamente exagerada e história no sense um pouco acima do tom, mas ninguém pode negar o primor do gameplay. Toda via a real surpresa ficou por Bayonetta 2 ser um título exclusivo de Wii U, o que deixou vários fãs da bruxa com pistolas, revoltados porém não adianta chorar, se não fosse pelo financiamento da Nintendo esse jogo não existiria, ou seja, não espere por esse título em nenhuma outra plataforma. Pelos vídeos de gameplay, o título segue na mesma pegada do seu antecessor, ou seja, boa porradaria e cenas exageradas, mas agora também com um modo multiplayer.

Plataforma: Wii U

The Order:1886

A nova franquia do estúdio Santa Monica da Sony, entrega nesse início de geração um grupo de cavaleiros em uma Londres no período vitoriano com toques steampunk. A missão aqui é eliminar criaturas monstruosas dignas dos maiores clássicos do horror – lobisomens, vampiros, e etc. Pouco do gamplay foi mostrado, mas já é possível afirmar que o jogo seguira uma fórmula bem parecida com Gear of War, com várias armas e sistema de cover de tiro em terceira pessoa, com a câmera na altura do ombro do personagem. Acho que é fácil apostar que é um dos grandes títulos do PS4 nesse primeiro ano do console.

Plataforma: Playstation 4

The Evil Within

Qual foi o último survival horror que você jogou? Provavelmente algo no PC, certo? Nos consoles talvez o melhor lançado nessa geração foi Dead Space, mas infelizmente a série também já seguiu o caminho de outras, e migrou mais para a ação, deixaram o fator survival horror de lado. Porém o criador da série de zumbis da Capcom, Shinji Mikami promete resgatar o gênero com The Evil Withing. O jogo parece focar em momentos de fuga, stealth, e ação em terceira pessoa, sempre carregado de violência, suspense e o verdadeiro medo durante toda a jornada do detetive Sebastian ao descobrir que uma poderosa e misteriosa força está por trás de uma série de assassinatos. A tensão e a sensação de pressão é impressionante nos vídeos divulgados até então.

Plataforma: PC, Playstation 3, Playstation 4, Xbox 360 e Xbox One

Alien: Isolation

Seguindo a estética do primeiro e consagrado filme da franquia Aline lançado em 1979, Isolation procura entregar um FPS diferente do tiroteio frenético normalmente visto no gênero. No seu lugar Isolation propõem uma luta pela sobrevivência imersa em toda uma atmosfera de terror e perseguição por uma das criaturas alienígenas mais bacanas já criadas no cinema. Também é uma proposta do título ampliar e explicar certas questões deixadas pelos filmes originais (o que aconteceu com a filha de Ripley?). Depois de esquecíveis jogos, dessa vez o projeto tem potencial para almejar por um espaço entre os melhores de 2014.

Plataforma: Não definidas

Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0
comentários
 
Deixe uma resposta »

 

Deixe uma resposta