0 comentários

Depois de RoboCop, Padilha encara seriado sobre Escobar, doc sobre as manifestações e muito mais!

by on fevereiro 27, 2014
 

Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0

Padilha tá  com tudo e não tá prosa. Depois de encarar o difícil desafio de refilmar RoboCop (confira nossas críticas sobre essa obra aqui e aqui). Ignorando as expectativas dos fãs, o diretor não se abalou e fez um longa de qualidade e que funciona por conta própria. Sem contar que conseguiu manter o controle da produção em seu primeiro filme Hollywoodiano, um feito para poucos estrangeiros quando chegam a meca americana do cinema. Agora com tudo a seu favor, o diretor negocia fazer uma série exclusiva para o serviço de séries, filmes e documentários sob demanda, Netflix, que tem produções exclusivas do calibre de “House of Cards” e “Orange Is the New Black”.

Sobre o que seria essa série? Uma área que José Padilha gosta de explorar bastante, a rota de tráfico de drogas da Colômbia, México e Estados Unidos que tem o traficante colombiano de renome internacional Pablo Escobar como uma das figuras centrais. O diretor quer abordar a natureza da política antidrogas nessa série que contará uma história colombiana e americana. É previsto que o seriado tenha cenas faladas em inglês e em espanhol.

O papel de Escobar deve ficar nas mãos de Wagner Moura. José Padilha falou com ele recentemente sobre o papel, elogiando-o como um dos melhores atores do mundo. Para reforçar a presença de Moura no projeto, o Netflix esta doido para ter o interprete de Capitão Nascimento no projeto.

Além de dirigir os 13 episódios encomendados para a primeira temporada de Narco, nome provisório da série, provavelmente ficará esse nome mesmo, Padilha escreveu o argumento e vai supervisionar as gravações. Doug Miro e Carlo Bernard ficam responsáveis pelos roteiros, com Eric Newman como produtor-executivo.

Mas não é só esse seriado que está no radar do cineasta, o cara não para. Ele fará um filme escrito por Nick Schenk, roteirista de “Gran Torino”, sobre a tríplice fronteira entre Brasil, Paraguaia e Argentina. Ele também fará um dos seguimentos do longa, “Rio, Eu te Amo”, projeto que reúne vários diretores contando história sobre a Cidade Maravilhosa. E para finalizar o sujeito ainda está preparando um documentário sobre as manifestações no Brasil, tendo como ponto inicial a morte do cinegrafista da Band, Santiago Andrade. Esse projeto esta sendo realizado em parceria com Walter Carvalho e Felipe Lacerda.

 

 

Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0
Seja o primeiro a comentar!
 
Deixe uma resposta »

 

Deixe uma resposta